Declarações do treinador do Boavista, Vasco Seabra, na sala de imprensa do Estádio do Bessa, após o empate ante o Belenenses, em jogo da oitava jornada da I Liga:

«Fizemos um jogo melhor do ponto de vista ofensivo. Na primeira parte o jogo foi equilibrado, mas penso que nós com as melhores oportunidades. Na segunda parte tivemos uma entrada forte, com várias chegadas à baliza do adversário, envolvimento grande. Tivemos dez minutos em que não conseguimos manter a intensidade e o ritmo e baixámos a nossa produção. Depois, voltámos a terminar com uma avalanche maior, maior chegada e faltou, no último terço, conseguirmos fazer golo.»

«Na semana passada [em Vizela] não tínhamos tido um jogo de tanta fluidez em termos ofensivos e crescemos a esse nível. A equipa precisa de serenidade, confiança. Essa confiança vai crescer com o aumento de vitórias e do número de pontos. No início, em alguns momentos, acabávamos por sofrer golos. Neste momento, penso que estamos muito estáveis: nos últimos quatro jogos, em três não sofremos. É importante manter a ficha limpa para estabilizar.»

[Se esperava mais do que sete pontos em oito jornadas:] «Para aquilo que produzimos, penso que sim, estávamos à espera de ter mais, queríamos ter mais, penso que fizemos por ter mais. Agora, temos ido algumas vicissitudes que têm condicionado, algumas lesões, jogadores que chegaram mais tarde, muitos novos, uma ideia diferente e, infelizmente, fomos, em alguns momentos, penalizados por não termos saído vencedores. Isso retira brilho e confiança e queríamos, podíamos e deveríamos ter mais pontos.»

[Se sente o lugar em risco:] «Sinto em risco é a vontade que temos de deixar em risco o adversário. O treinador tem sempre o lugar em risco. A minha única preocupação é trabalhar todos os dias. Estamos aqui para tomar decisões e fazer a nossa equipa jogar. Os próximos tempos são importantes, hoje tivemos muitas baixas por situações curtas de resolver.»

Ricardo Jorge Castro / Estádio do Bessa, Porto