Declarações do treinador do Sp. Braga, Carlos Carvalhal, na sala de imprensa do Municipal de Braga, após a vitória por 2-0 ante o Estoril, em jogo da 13.ª jornada da I Liga:

«Ao intervalo estava 2-0, mas falhámos uma grande penalidade, temos mais duas oportunidades para fazer golo. Primeira parte excelente, não demos grandes hipóteses ao Estoril de sair a jogar de trás como gosta. Tivemos paciência, circulámos bem a bola e justificamos, não estar a ganhar 2-0, mas se calhar estar a ganhar por mais e sentenciar. Depois há a expulsão e o jogo mudou, uma equipa como o Estoril é difícil de pressionar com 11 e nós conseguimos fazer com mestria, mas com dez é muito complicado. Tivemos de baixar linhas, aguentar a pressão. Importante também a entrada do Gorby, entrou num momento difícil e esteve bem.»

«É gratificante ter adeptos a um domingo à noite. Trabalham no dia seguinte, estão ao frio, dificuldades em estacionar, terem que ter o seu certificado de vacinas, fazer um teste. Que chatice só para ver um jogo de futebol. Um aplauso para eles e que quinta-feira sejamos muitos mais.»

[Gestão do jogo após a expulsão:] «A partir do momento em que ficámos com dez obrigamo-nos a um trabalho redobrado, mas penso que fizemos uma boa gestão. Tivemos de fazer um jogo diferente, bloquear os espaços e, a partir daí, tentar sair em transição, o que não estava muito fácil, mas foi o jogo que tínhamos de fazer em função do resultado que estava. Os jogadores foram exemplares. Satisfeitíssimo, contra um adversário que ainda não tinha perdido fora de casa.»

«Eu apesar de estar a ironizar, fui claro em dizer que não queria comentar aquele jogo [ndr: com o Vizela] porque eu não quero ser mestre da tática, nem quero que depois digam que me ando a armar. É que depois foi pegado exatamente pelo lado contrário. Não tem dúvida nenhuma no que eu respondi e fico espantado como se pega num não facto. Eu tinha de dizer isto. Tirando isso obviamente que quero de falar de futebol: preparámos bem a pressão no Estoril. Soubemos interpretar bem. Ganhámos muitas bolas no momento de construção. Temos treinado muito os envolvimentos pelo jogo interior, podíamos ter feito mais [golos]. Reconheço que a nossa equipa é forte nos corredores, mas também estamos a melhorar o jogo por dentro.»

[Conversas com o Flamengo:] «Qualquer pergunta desse género vou reportar-me à antevisão do jogo. Nada a alterar.»

[Lesão do Castro:] «Grave não é, grave foi a lesão do Carmo (risos). É uma situação muscular, o Castro conseguiu completar o último jogo, no dia seguinte sentiu uma pequena dor que se transformou numa dor maior no gémeo. Se vai jogar quinta ou domingo, não sei. Vai depender da forma como ele recuperar. Os que não estiveram não foi por poupanças, não estavam aptos: Tormena, Galeno, Musrati.»

Ricardo Jorge Castro / Estádio Municipal de Braga, Braga