Declarações de Nuno Manta Santos, treinador do Deps. Aves, na sala de imprensa do reduto avense, após o regresso aos triunfos com uma vitória (1-0) sobre o v. Setúbal:

«É uma vitória que vem tarde. Se tivesse acontecido logo na retoma certamente as coisas podiam estar diferentes. Mas faz parte do passado. É uma vitória que nos permite chegar a casa com um sorriso, de maneira diferente. Era muito tempo sem pontos, sem uma vitória, sem marcar golos e era preciso dar um grito de revolta. Tivemos felicidades em alguns momentos, na segunda parte o Setúbal entrou mais forte, mas fomos equilibrando e aguentando. Na parte final em transição podíamos ter marcado. Esta vitória era importante para o nosso ego, para a nossa alma. O adversário precisava de pontos mas não queremos interferir na nossa luta, apenas pensamos na nossa luta diária».

[Luta pela permanência] «Em dezembro, entre equipa técnica, começámos por dizer quantos pontos seriam necessários. Disse que seriam necessários 34 pontos. Não vai fugir disso. Há equipas a recuperar, é pena o Aves não estar nessa luta. Vai haver muita luta até ao fim, o Aves quer ter compromisso e respeito até ao fim».

[Yamga não esteve na ficha. Rescindiu?] «Deixo para a administração responder. Cabe-me a mim ter compromisso com os que tenho».

Bruno José Ferreira / Vila das Aves