Figura: Luis Díaz

O extremo é, indiscutivelmente, o jogador em melhor forma do FC Porto. Fez dois golos, ficou perto do hat-trick e foi um pesadelo para a defesa do Moreirense, sobretudo na segunda parte. Com espaço, o internacional colombiano é quase impossível de travar atualmente. Díaz estabeleceu uma relação especial com o golo desde a Copa América e esta noite, assumiu-se como o melhor marcador da Liga. É justo escrever que dividiu o protagonista com Taremi, mas as correrias desenfreadas e os dribles desconcertantes, elevam-no ao estatuto de figura do jogo. Está em ponto de rebuçado e Conceição agradece.

Momento: os erros pagam-se caro, Pasinato (minuto 51)

Após ter feito uma segunda parte interessante, o Moreirense iniciou a segunda parte na discussão do encontro. No entanto, tudo o que João Henriques pensou para a segunda parte ruiu aos 51 minutos. Pasinato recolocou mal a bola em jogo com os pés, Fábio Vieira dominou e isolou Díaz que atirou em jeito para o 2-0. Game over.


Outros destaques:

Vitinha: uma das novidades na equipa titular de Conceição, o internacional sub-21 pareceu ter agarrado a oportunidade. Ou pelo menos fez por isso. Vitinha provou, mais uma vez, que é o médio que melhor pensa o jogo ofensivo do FC Porto. Mostrou que é capaz de encontrar espaços onde eles escasseiam, vê o que poucos são capazes de ver e alia isso a uma eficácia de execução tremenda. Qualidades imprescindíveis para desmontar blocos baixos – como ficou provado no lance do 1-0. O médio revelou-se importante também na dobra a João Mário num par de situações. Enfim, deu uma lição de bom futebol.

Abdu Conté: o internacional sub-21 português não esteve mal apesar da goleada sofrida do Moreirense no Dragão. Conté destacou-se pela capacidade de sair em condução pela esquerda, recorrendo ao poderio físico. Ao contrário dos restantes colegas, o lateral-esquerdo apenas cometeu um erro no lance que valeu o 5-0 ao FC Porto.

Fábio Vieira: no último meio ano foi mais vezes titular pela equipa B do que pela equipa principal. Quiçá, por isso, o internacional sub-21 português agarrou-se com unhas e dentes à oportunidade dada por Conceição. Com liberdade de movimentos nas costas de Taremi, Fábio Vieira provou que tem um pé esquerdo capaz de colocar a bola onde lhe apetece. Foi assim nos passes para os dois golos de Díaz e para o primeiro golo de Pepê. Notável! Mereceu os aplausos que ouviu quando saiu.

Pasinato: após uma primeira parte sem sobressaltos, o guarda-redes do Moreirense entrou numa espiral de erros. Depois de ter errado um passe para a Paulinho na primeira parte, o brasileiro voltou a falhar com os pés e permitiu ao FC Porto fazer o 2-0. Mais tarde, Pasinato não segurou o remate de Vitinha e viu Taremi picar-lhe a bola por cima e fazer, calmamente, o 4-0.  

Taremi: o iraniano fez um jogo de bom nível e notabilizou-se pela forma como soube segurar a bola e associar-se com os companheiros. O avançado persa teve instinto para antecipar-se a Paulinho e forçar o defesa a errar. Transformou ele próprio a grande penalidade conquistada e abriu caminho à goleada portista. Taremi ainda teve tempo para fazer bis num lance de classe pura. 

Vítor Maia / Estádio do Dragão, Porto