Figura: Edgar Costa

O capitão do Marítimo, que já vestiu a camisola do Nacional, esteve em todo o lado ao longo dos 70 minutos em que esteve em campo. Defendeu, atacou, deu conselhos aos colegas e também marcou. Assinou o primeiro golo do jogo, através da cobrança superior de um livre direto, e depois ‘arrancou’ a grande penalidade que deu o segundo da equipa, anotado por Joel Tagueu, e que devolveu a vantagem numa fase de loucos do jogo, e que acabou por ser determinante para o desfecho final.   

Momento: 87’, Penálti de Zainadine (88m)

Adivinhava-se um final de dérbi muito emotivo e quando a quatro minutos dos 90 Zainadine cometeu falta para penálti, que Rochez converteu, ficou tudo em aberto. O Nacional acreditou e até voltou a marcar, por Riascos, já com o Marítimo todo lá atrás. Mas o golo não contou.     

Outros destaques

Nanu

Redimiu-se de alguns erros que cometeu em tarefas defensivas com o apoio que deu ao ataque. O maior momento foi o cruzamento-remate que assinou aos 35’, para Getterson fazer o 3-1, depois de recuperar uma bola no meio campo defensivo do Nacional que também poderia ter dado um contra-ataque perigoso.   

Getterson e Joel Tagueu

Tarde produtiva para os dois avançados do Marítimo, com ambos a marcarem um golo. Deram muita luta na frente e até podiam ter faturado mais um cada, mas faltou uma pontinha de sorte, ou talvez um pouco mais de frieza, especialmente ao ponta de lança brasileiro.    

Rashidov e Riascos

Os elementos mais avançados do Nacional no primeiro tempo revelaram pouco entendimento no processo ofensivo, mas também falta de eficácia, o que penalizou a equipa sobretudo no primeiro tempo.      

Camacho

O regresso de Camacho, após várias jornadas de fora das opções devido a lesão, constitui uma excelente notícia para Costinha. O extremo esteve sempre em jogo, ora procurando assistir os colegas, ora tentando resolver através da meia distância. Ganhou uma grande penalidade e converteu-a com classe (1-1).

Vítor Gonçalves

O capitão do Nacional esteve incansável na hora de empurrar a sua equipa para a frente, quase sempre com qualidade no passe, seja qual for a distância. Decidiu rápido e bem.  

Raul Caires / Estádio do Marítimo, Funchal