Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, analisa o empate no clássico com o Sporting, em Alvalade (2-2):

[a quem se referia quando disse, na flash, que alguns jogadores tinham de entender a identidade do FC Porto] «Refiro-me a jogadores que têm de perceber que a concentração competitiva tem de ser a máxima, a agressividade tem de ser também máxima, faz parte da identidade da equipa. Muitas vezes subvalorizamos o nosso campeonato, as nossas equipas, os nosso treinadores e jogadores.»

«Vimos um jogo muito intenso na primeira parte. O Sporting entrou bem, marcou. Nós reagimos muito bem. Chegámos com perigo e muitas vezes. Podíamos ter feito mais golos na primeira parte. Na segunda parte estávamos alertados para uma entrada forte do Sporting. Começou por dominar de forma consentida, e depois, numa ou outra transição, tivemos perdas de bola que não são normais. O jogo estava controlado, de certa forma, com uma ou outra chegada nossa que podia ter dado o 3-1, e acabamos por sofrer aquele golo, fruto de alguma passividade. O jogo não é só agressividade, mas também é agressividade, é importante. Não podemos perder a bola daquela forma, e perdemos aqui dois pontos.»

Nuno Travassos