Não foi o da cozinha, mas este Pires, servido de bandeja em dois erros do Famalicão, bisou para lançar a primeira vitória caseira a Vasco Seabra no Moreirense, quebrando o enguiço ao 11.º jogo para a melhor despedida de época. Walterson selou-a já na reta final, fazendo desta a melhor vitória dos cónegos na edição da Liga que agora termina.

Dois golos do extremo que já brilhou no futebol austríaco permitiram ao Moreirense, na primeira parte, descolar de um Famalicão que ainda sonhava com a Europa, mas a quem nem a vitória chegava para o sexto lugar. O oitavo fica em Moreira, o nono vai para terras famalicenses.

A precisar de um triunfo e de derrotas de Santa Clara e Vitória de Guimarães, o Famalicão entrou de olho ainda nas aspirações europeias, mas estas ficaram desfeitas a partir do minuto 21, quando Pires abriu o marcador.

Antes disso, nos primeiros sete minutos, Gustavo Assunção e Alexandre Guedes mostraram ao que o Famalicão vinha, mas se o remate do primeiro foi socado por Miguel Oliveira, o segundo foi cortado quase em cima da linha por Abdu Conté, antes de o lance ser anulado por fora-de-jogo.

A resposta dos verdes do Minho não podia ter sido mais eficaz e com aproveitamento de alguma passividade alheia. Walterson intercetou uma bola chegada aos pés de Calvin Verdonk a meio campo, galgou metros e assistiu Felipe Pires que, vindo de trás, na esquerda, recebeu e atirou a contar para o 1-0.

Moreirense-Famalicão, 3-0: toda a reportagem do jogo

Os famalicenses até tiveram um pouco mais de bola, mas as melhores oportunidades iam surgindo na baliza de Luiz Júnior, que quase viu Ibrahima fazer um golaço (30m) e depois adiou o bis de Felipe Pires aos 36 minutos, no cara a cara.

E sim, adiou porque o brasileiro viria a fazer o 2-0 em cima do minuto 44, novamente no proveito do erro contrário: após um livre a favor do Famalicão, Iván Jaime variou jogo com um passe atrasado para Diogo Figueiras, mas Felipe Pires foi rápido, intercetou e isolou-se ainda a meio campo, correndo até bater de novo Luiz Júnior.

Já com a Europa como miragem, mas ainda na luta pelo resultado, Ivo Vieira lançou – e bem – Edwin Herrera, Ugarte e Valenzuela após o descanso, com o último a ser um verdadeiro agitador do ataque visitante na segunda parte, que teve 20 minutos iniciais quentinhos, da relva aos bancos, a contrastarem com um jogo até então mais tranquilo emocionalmente de parte a parte.

Certo é que as mexidas famalicenses não surtiram mais efeito do que várias aproximações à área de Miguel Oliveira e ainda custaram mais um golo, com toque brasileiro, a seis minutos dos 90: após um cruzamento do lado direito socado por Luiz Júnior, Walterson aproveitou e, na sobra, fez o 3-0 final no marcador.

Ricardo Jorge Castro / Parque Comendador Joaquim de Almeida Freitas, Moreira de Cónegos