O golo dedicado a Rúben Semedo afastou Gelson Martins do Dragão, por castigo, e lançou interrogações sobre a escolha de Jorge Jesus para o clássico, até porque a principal alternativa ao camisola 77 já não mora em Alvalade (mas sim em Génova).

Gelson Martins foi titular em 32 dos 44 jogos disputados pelo Sporting até ao momento. Só ficou de fora em doze, portanto, e em quatro deles a alternativa foi Iuri Medeiros.

Quatro dias depois da visita ao Olympiakos, para a Liga dos Campeões, o Sporting recebeu o Tondela para a 6ª jornada da Liga. Foi a 16 de setembro, e Jesus lançou Iuri Medeiros de início na vitória por 2-0. Gelson ficou no banco mas entrou ao minuto 60, precisamente para o lugar do esquerdino.

Apenas três dias depois a formação leonina recebeu o Marítimo para a Taça da Liga (empate 0-0) e Iuri voltou a ser titular, desta feita com Gelson Martins na bancada (acabaria substituído por Podence ao minuto 56).

Cerca de um mês depois, no primeiro compromisso para a Taça de Portugal, Jorge Jesus prescindiu de Gelson para a visita a Oleiros (2-4) e voltou a apostar no dono da camisola 45.

Iuri Medeiros foi assim a alternativa a Gelson nos primeiros três jogos em que este não foi titular, e posteriormente foi lançado frente ao Vilaverdense, também para a Taça de Portugal, a 13 de dezembro (4-0). Gelson começou o jogo no banco e entrou ao minuto 60, mas para o lugar de Bryan Ruiz.

Na ronda anterior da prova-rainha, porém, o técnico leonino já tinha testado outra alternativa: Bruno César foi a aposta na vitória sobre o Famalicão (2-0), mas a lesão de Jonathan Silva promoveu a entrada de Gelson Martins logo ao minuto 13.

O brasileiro desempenhou esse papel em mais duas ocasiões: frente ao Cova da Piedade, mais uma vez para a Taça de Portugal (vitória leonina por 2-1), e na derrota no Estoril, para a Liga (2-0).

Uma outra alternativa é Rúben Ribeiro, reforço de inverno que já substituiu Gelson em dois jogos: frente ao Vitória de Setúbal, na final da Taça da Liga, e mais recentemente na receção ao Astana, jogo em que foi substituído ao intervalo.

Jorge Jesus pode também optar por encostar Bruno Fernandes ao lado direito, solução utilizada na vitória caseira sobre o Vitória de Guimarães, para a 20ª jornada da Liga.

Importa referir ainda a visita a Camp Nou, para a Liga dos Campeões, jogo em que Gelson começou no banco e a ala direita ficou entregue a Ristovski, num esquema de três centrais, com Bruno Fernandes também a aparecer nesse corredor.

Daniel Podence substituiu Gelson Martins na visita ao Restelo para a Taça da Liga, mas está a recuperar de intervenção cirúrgica, e por isso fora das opções para o clássico de sexta-feira.

Dos doze jogos em que não contou com Gelson no "onze", o Sporting venceu metade (seis). A formação leonina empatou quatro destes duelos - incluindo a final da Taça da Liga, conquistada depois nos penáltis -, e sofreu duas derrotas: em Barcelona e no Estoril. Uma com o internacional português no banco e outra indisponível.

Data Jogo Prova Gelson? Substituto
16.09.17 Sporting-Tondela (2-0) Liga (6ª jornada) Suplente, entrou ao minuto 60 Iuri Medeiros
19.09.17 Sporting-Marítimo (0-0) Taça Liga (1ª jornada) De fora Iuri Medeiros
12.10.17 Oleiros-Sporting (2-4) Taça Portugal (3ª elim.) De fora Iuri Medeiros
16.11.17 Sporting-Famalicão (2-0) Taça Portugal (4ª elim.) Suplente, entrou ao minuto 13 Bruno César
05.12.17 Barcelona-Sporting (2-0) Liga Campeões (6ª j.) Suplente, entrou ao intervalo Ristovski*
13.12.17 Sporting-Vilaverdense (4-0) Taça Portugal (oitavos) Suplente, entrou ao minuto 60 Iuri Medeiros
29.12.17 Belenenses-Sporting (1-1) Taça Liga (3ª jornada) Suplente, entrou ao minuto 58 Podence
10.01.18 Cova Piedade-Sporting (1-2) Taça Portugal (quartos) De fora Bruno César
27.01.18 V. Setúbal-Sporting (1-1, 4-5 após g.p.) Taça Liga (final) De fora Rúben Ribeiro
31.01.18 Sporting-V. Guimarães (1-0) Liga (20ª jornada) De fora Bruno Fernandes
04.02.18 Estoril-Sporting (2-0) Liga (21ª jornada) De fora Bruno César
22.02.18 Sporting-Astana (3-3) Liga Europa (16 avos, 2ª mão) De fora Rúben Ribeiro

* esquema de três centrais

Nuno Travassos