Ricardo Soares, treinador do Gil Vicente, na sala de imprensa, após derrota por 1-0 frente ao Marítimo:

«Na primeira parte pressionamos muito o Marítimo, com uma forte reação à perda, circulamos por dentro, com algumas situações de cruzamento e alguns remates sem a eficácia desejada. Por outro lado, não permitimos ao Marítimo qualquer ocasião de perigo. Circulamos bem, entrámos por dentro, por fora, mas faltou o último toque.

Na segunda parte o Marítimo equilibrou o jogo, perdemos alguma capacidade de pressão fruto do desgaste, não tenho dúvidas sobre isso, mas de qualquer forma, tivemos duas oportunidades de golo, eles também, por isso penso que o resultado é tremendamente injusto.

O Marítimo de hoje é muito diferente do que eu tinha defrontado pelo Moreirense. Sendo o mesmo sistema, é uma equipa que melhorou o processo defensivo. Gostava de tocar outra vez neste assuntou porque não pode passar em claro e não me importa que digam que é desculpa, porque já falei nisto antes do jogo. Nós tivemos um terceiro jogo em menos de 72 horas. Não faz sentido nenhum, as equipas não estão em pé de igualdade. Agora vamos estar oito ou nove dias, esperando o resultado de outros, para efetuar o jogo. Tem de se ter mais atenção porque nós pagamos caro.

[substituições tardias, mesmo com o cansaço da equipa] Nós estamos numa era diferente e temos de ser justos nas análises. Tive jogadores com Covid19 e a recuperação deles é difícil. Depois há outras questões que não são de dois e dois são quatro. Tentei equilibrar a equipa nos dois jogos, dentro da qualidade do plantel.

[mercado de Inverno] Não vou ter nenhuma opinião sobre isso. Vamos falar em conjunto com o clube para ver se precisamos de jogadores ou não. Há uma coisa clara para mim: este plantel e os jogadores que tenho ao meu dispor têm feito um trabalho extraordinário e eu confio neles. Se vier gente para acrescentar e dar mais competitividade, é bom, se não vier eu também vou arranjar isso como argumento porque acredito nos meus jogadores.  

[resultados menos positivos com adversários diretos] Só no futuro é que vamos ver o que implica estes resultados. Nós não somamos pontos e temos de os somar porque no futebol os objetivos fazem-se de somar pontos e não de exibições bem conseguidas. No futebol existe resultados, existe ganhar e nisso não fomos competentes. Temos de somar pontos e temos de dar uma resposta cabal já no próximo jogo».

Nuno Dantas / Estádio Cidade de Barcelos