Vítor Oliveira, treinador do Gil Vicente, alertou para as dificuldades que a sua equipa vai ter na receção ao Vitória de Guimarães, este domingo, 17h30, em jogo da 14.ª jornada da I Liga.

Questionado na conferência de imprensa de antevisão sobre quais são as armas do adversário, Vítor Oliveira afirmou: «A qualidade do plantel e a organização transmitida pelo treinador. O Vitória tem um grande plantel e está a constituir uma belíssima equipa. Sabemos que as equipas do Ivo [Vieira] são muito equilibradas e difíceis de defrontar».

«Vêm moralizados por causa de uma vitória fantástica [com o Eintracht Frankfurt na Liga Europa]. A campanha europeia não correu da forma pretendida, mas acabou com brilhantismo. Não se vai colocar o problema do cansaço, até porque penso que haverá mudanças substanciais. O Vitória é aquele tipo de equipas em que não sabemos muito bem quem são os titulares e os suplentes e o treinador já provou que é um bom gestor dessas situações», apontou.

Focado em dividir as despesas da partida, Vítor Oliveira admite que os vimaranenses não estão a corresponder às expectativas pontuais na I Liga, embora «há um mês fossem a melhor equipa» da prova, fruto de «um futebol de excelente qualidade».

«O Vitória precisa de pontos para se estabilizar nos lugares cimeiros e não acredito que uma vitória na Alemanha vá pôr os seus jogadores em bicos de pés. Estamos a contar com um adversário no limite das suas capacidades, mas também queremos um Gil Vicente capaz, a fazer valer de forma determinante o fator casa», frisou.

Após quatro meses de competição oficial, o melhor treinador do campeonato nos meses de outubro e novembro assume ter estabilizado a definição do onze, situação favorável ao nível exibicional e ao entrosamento coletivo, se as «lesões não apoquentarem».