Figura: Joel 

Começou o jogo no banco, mas entrou determinado a marcar e deu muito trabalho ao bloco defensivo menos batido da Liga. Festejou aos 69, mas o lance foi anulado por fora de jogo. Joel não desistiu e continuou a procurar o golo que toda a equipa ansiava e acreditava ser possível. A crença foi recompensada com nova cabeçada, desta vez em posição regular. Um prémio merecido. 

Momento do jogo: saída fora de tempo, minuto 60

Kritsyuk calculou muito mal o tempo de saída de entre os postes e acabou por derrubar Alipour, que seguia isolado. O Belenenses SAD controlava o jogo, mesmo sem bola. Em superioridade numérica, o Marítimo acreditou que a vitória ficava mais à mão, e acabou por ser assim, embora tenha sido selada só nos descontos.

Outros destaques:

Rafik: no segundo jogo a titular, o jovem francês emprestado pelo Rennes assumiu muitas vezes o ataque insular, com bons pormenores e sentido coletivo. A aposta de Milton Mendes está a crescer.  

Alipour: primeiro jogo a titular do iraniano não correu nada mal. Teve pouca bola, é certo, mas é incansável na sua procura. É um caso sério quando mete o turbo na procura do espaço. Que o diga Kritsyuk.   

Miguel Cardoso: assinou os primeiros lances de perigo da partida, jogando sempre de cabeça levantada e em prol da equipa. Saiu algo cedo do jogo.

Rúben Lima: deu muita vida ao seu corredor, com qualidade no passe e rapidez na decisão, lendo quase sempre bem o que é que o jogo precisava, tanto a defender como a atacar.

Raul Caires / Estádio do Marítimo, Funchal