É difícil tratar de vários assuntos ao mesmo tempo. Mesmo quando o que está em cima da mesa é uma presença na Liga Europa. Ora bem, o Rio Ave não caiu na tentação de virar atenções para o Marítimo-Famalicão e venceu no Bessa (0-2).

É, de todo, injusto ver o filme de uma época inteira apenas por um capítulo. Ou seja, a qualificação ou não dos vilacondenses para a Europa não pode nem deve tirar mérito ao excelente campeonato que fizeram. Mais do que terem estabelecido um novo recorde de pontos na história do clube (55), foram a equipa que melhor jogou em Portugal este ano.

A presença nas provas da UEFA seria um justo prémio para o trabalho desenvolvido por Carvalhal e pelos seus jogadores. Tal como seria um reconhecimento merecido para o Famalicão. 

Em relação ao Rio Ave não começou bem a partida, é preciso dizê-lo. As duas primeiras situações de golo pertenceram ao Boavista com Sauer a rematar para uma excelente defesa de Kieszek. No entanto, quem Taremi arrisca-se a marcar mesmo quando não está bem no jogo.

No primeiro erro da equipa axadrezada, o iraniano ficou a centímetros do 0-1. Depois, numa falta de atenção de Fabiano, Monte efetou rapidamente o lançamento de linha lateral deixou Piazón com espaço para servir Diego. O disparo foi bloqueado por Ricardo Costa e Taremi aproveitou para marcar.

O Boavista desapareceu da partida após o golo sofrido e deixou o Rio Ave à vontade para dilatar a diferença no marcador. Taremi (quem mais?) viu Helton Leite negar-lhe o bis. 

O conjunto de Daniel Ramos retirou o conforto do jogo ao adversário: aumentou os níveis de agressividade, começou a circular a bola mais rápido e ganhou mais duelos. Naturalmente, os axadrezados estiveram perto do empate num pontapé de Sauer que Borevkovic cortou.

Os vilacondenses foram ameaçando a baliza de Helton Leite em saídas rápidas, conduzidas sobretudo por Nuno Santos. Numa dessas ocasiões, Taremi falhou na cara de Helton Leite. Porém, o iraniano guardou para si a frustração de ter desperdiçado o bis e, já nos instantes finais, teve forças para pressionar a defesa do Boavista e marcou um dos golos mais incríveis da temporada.

O jogo acabou com os jogadores do Rio Ave assistirem ao Marítimo-Famalicão em dois telemóveis e viram os famalicenses desperdiçarem uma vaga europeia. E acabaram a festejar.

 

Vítor Maia / Estádio do Bessa, Porto