FIGURA: Kieszek

Depois de uma primeira parte com pouco trabalho para o guarda-redes polaco, foi pedido um trabalho extra após o intervalo. Correspondeu com grande eficácia e coragem, limpando pelo menos três contra-ataques perigosos do Marítimo, que deixariam isolados jogadores isolados na sua cara...   

Momento: minuto 82, Kieszek intransponível 

Rodrigo Pinho surgiu isolado e só não marcou porque o guarda-redes do Rio Ave foi, mais uma vez, lesto e eficaz (pela terceira vez) a sair da grande área para afastar o perigo. A última grande oportunidade de golo do jogo acabou ali.

OUTROS DESTAQUES

René Santos: fez mais cortes em momentos de grande perigo que o colega Zainadine, e, como se sabe, costuma quase sempre ser ao contrário. O central brasileiro construiu para o ataque, revelando intervenções nas bolas paradas.  

Milson: o jovem extremo angolano é um caso sério quando pega na bola e com pouca oposição pela frente. É veloz e detém um bom drible. Esteve perto de marcar, criou lances para os colegas e saiu queixoso, sofrendo muitas faltas.

Piazón e Mehdi Taremi: tarde de desacerto dos dois avançados do Rio Ave. O relvado não ajudou, é certo. Mas ambos devem estar a pensar como não conseguiram fazer melhor em lances em que tinham tudo para finalizar em plena área do Marítimo.

Raul Caires / Estádio do Marítimo, Funchal