Figura: Lucas

Uma das surpresas na equipa apresentada por Daniel Ramos. Titular quase quatro meses depois, o defesa brasileiro fez uma exibição muito sólida. Mostrou-se imperial no espaço aéreo e anulou todas as jogadas pelo chão na sua zona de jurisdição. Lucas foi decisivo na partida ao anotar o golo que abriu caminho à vitória axadrezada, aproveitando um erro de Marco.

Momento: Pantera aproveita erro de Marco, minuto 14

A falta de João Afonso sobre Cassiano na esquerda era desnecessária. Bueno cruzou tenso para a zona da marca de penátli, Marco ficou a meio do caminho entre a baliza e a bola e Lucas cabeceou para o fundo da baliza. O lance foi analisado pelo VAR e confirmou o erro de Marco e o golo do central brasileiro.

OUTROS DESTAQUES:

Helton: se a cabeçada de Lucas foi decisiva para o triunfo axadrezado, as defesas do guarda-redes também. O brasileiro revelou-se extremamente seguro e ligado ao jogo, sempre a dar indicações aos companheiros. Notável a defesa a cabeceamento de João Afonso ainda na primeira parte e a coragem para anular os cruzamentos açorianos na fase final da partida. Em suma, Helton fez um belo jogo.

Marco: está ligado ao primeiro golo da partida. O guarda-redes açoriano ficou a meio do caminho na saída entre os postes e permitiu a Lucas desviar para a baliza deserta. É verdade que foi mais vezes a jogar com os pés do que com as mãos, ainda assim pedia-se mais concentração a Marco. A hesitação é uma mancha enorme na exibição do guardião, visto que o golo acabou por ser fatal no desfecho do jogo.

João Afonso: cometeu uma das faltas que irrita qualquer treinador, visto que Cassiano fugia para o corredor. Apesar de ter cometido a falta que originou o golo do Boavista, o central realizou uma exibição razoável no capítulo defensivo. Ainda enviou uma bola de cabeça à trave e viu Helton negar-lhe um golo quase certo. Faltou-lhe critério com bola, abusando nos passes longos para Zaidu na extrema esquerda.

Vítor Maia / Estádio do Bessa, Porto