A FIGURA: Marchesín

Talvez seja injusto para Francisco Conceição não estar aqui como a figura de destaque deste jogo, mas o ‘sangue frio’ de Marchesín teve maior peso na decisão do resultado. As três defesas assinadas pelo guardião argentino, no espaço de pouco mais de três minutos (já depois dos 80), foram fundamentais para a equipa do FC Porto continuar a acreditar que era possível chegar ao resultado pretendido.

O MOMENTO: Francisco conquista penálti para Otávio (minuto 90)

Francisco Conceição é empurrado pelas costas num duelo com Ruben Macedo e o árbitro assinala o castigo máximo. O lance foi validado pelo VAR e Otávio não perdoou frente a Amir, que praticamente não se mexeu.

OUTROS DESTAQUES:

Francisco Conceição: Mexeu com o jogo ofensivo dos portistas, que estava muito trancado pelo bloco baixo do Marítimo. Conquistou a grande penalidade que deu o golo de Otávio, e um triunfo importante.

Marega: Final de noite para esquecer para o maliano. Quase sempre previsível e sem intensidade, acabou por facilitar a vida aos defesas madeirenses.

Joel Tagueu: Correu quilómetros, rematou na mesma medida e até deu muitas ajudas a defender. Saiu esgotado, mas com o título de mais disparos à baliza.

Léo Andrade: O jovem central brasileiro recrutado à equipa B do Marítimo voltou a marcar (fez o 1-1 com muita astúcia) e novamente a um ‘grande’. Já havia marcado, recorde-se, ao Sporting, no jogo que ditou a eliminação dos lisboetas da Taça de Portugal.

Raul Caires