Moussa Marega decidiu abandonar o relvado do Estádio D. Afonso Henriques após insultos racistas por parte dos adeptos do Vitória de Guimarães. O avançado do FC Porto foi substituído ao minuto 73 mas, já antes, tinha denunciado atos de racismo no recinto minhoto.

Como as imagens demonstram, Marega apontou repetidamente para a cor da pele no festejo do golo que marcou, originando mais cânticos e arremesso de cadeiras. Nessa altura, o jogador maliano ainda brincou com a situação, pegando numa das cadeiras e colocando-a sobre a cabeça.

VÍDEO: o golo e os festejos de Marega


Minutos mais tarde, na sequência de novos insultos, Moussa Marega decidiu tomar uma atitude definitiva e solicitar a sua substituição, encaminhando-se para os balneários. Antes de sair do relvado, ainda fez um sinal de reprovação em direção aos adeptos presentes no estádio.
 

Minutos mais tarde, na sequência de novos insultos, Moussa Marega decidiu tomar uma atitude definitiva e solicitar a sua substituição, encaminhando-se para os balneários. Antes de sair do relvado, ainda fez um sinal de reprovação em direção aos adeptos presentes no estádio.

Depois de abandonar o retângulo de jogo, ao que o Maisfutebol apurou, o avançado do FC Porto esteve a tomar banho e ficou no balneário, não participando na habitual roda da equipa após o apito final. Ainda assim, Marega viajou com a comitiva azul e branca para a cidade do Porto.

O jogador partilhou um texto forte nas redes sociais, criticando igualmente a atitude do árbitro do encontro, e os companheiros de equipa juntaram-se em mensagens solidárias. Nenhum deles compareceu na flash interview e Sérgio Conceição limitou-se a partilhar a indignação do grupo. O treinador não falou em conferência de imprensa. Mais tarde, o FC Porto emitiu um comunicado, falando em crime e insultos reiterados a Marega durante o encontro em Guimarães.

VÍDEO: o momento da saída de Marega