Declarações de Luís Freire, treinador do Nacional, na sala de imprensa do Estádio Municipal de Braga, após a derrota (2-1) frente ao Sp. Braga:

«Foi um jogo que já sabíamos que ia ser complicado, perante uma equipa que joga futebol ofensivo de qualidade. Tentámos contrariar mas falhámos um pouco no timing da pressão. Queríamos ter um pouco mais de bola, porque a nossa intenção era continuar que temos feito, ter capacidade de jogar. Num grande remate à meia hora de jogo esse golo traduz um pouco a superioridade em termos de posse do Braga. O intervalo ajudou-nos, tivemos um golo invalidado, bem invalidado mas que poderia ser uma hipótese para entrarmos no jogo. Ao intervalo pedimos aos jogadores para defender mais juntos e ter um pouco de bola. Queríamos marcar o nosso golo sem nos expor, o que não era fácil. Não fazendo o terceiro golo o nosso golo chegou já perto do fim e não tivemos tempo para fazer mais nada. A vitória é justa do Braga, da nossa parte fica a ideia que tentámos ser iguais a nós próprios, perdemos por mérito do adversário».

[Identidade na saída de bola é o que pretendem?] «No último jogo fizemos dezoito remates. Gostámos de construir mas temos de estar preparados para não sofrer golos na perda da bola. A realidade é que sofremos um golo a trinta metros da baliza, mas não pressionámos bem e não estivemos no meio campo ofensivo tanto tempo quanto pretendíamos».

Bruno José Ferreira / Estádio Municipal de Braga