Manuel Machado, treinador do Nacional, na sala de imprensa, após derrota por 3-0 frente ao Famalicão:

«Esta situação de estar no último lugar na tabela já se arrasta há muitas jornadas. Tentámos manter sempre em termos pontuais, do ponto de vista aritmético, a possibilidade de levar até ao fim de sobreviver na I Liga, mas ao perder aqui hoje não conseguimos chegar ao jogo de quarta-feira com essa possibilidade em aberto.

A primeira parte foi equilibrada, criámos algumas oportunidades, mas a tomada de decisão nunca foi a melhor. Depois, como acontece sempre com equipas que estão nesta situação, o primeiro remate do Famalicão resulta em golo e tudo fica mais complicado. 

Depois do intervalo tentámos acrescentar ofensivamente futebol à equipa. A reação foi boa e nos primeiros 15 minutos obrigámos o guarda-redes do Famalicão a fazer boas intervenções, mas ao acrescentar na frente, sabíamos que íamos descobrir atrás. Perder por um ou por dois era igual porque nem o empate servia. 

[o que faltou à equipa?] O que foi determinante foi não termos conseguido marcar primeiro e tivemos oportunidades para isso. Acaba por ser o fator mais penalizador. Com a vantagem do nosso lado podíamos ter gerido a partida de outra forma.

[sentimento da equipa] Este sentimento não é só meu, é transversal. Julgo que toda a gente que teve trabalho no Nacional, está neste momento triste. É um sentimento de tristeza, mas com esperança porque a equipa tem-se reerguido na época seguinte. É uma grande esperança e grande certeza de que, daqui a um ano, estaremos a festejar.

[chegando mais cedo ao clube tinha condições para evitar a descida?] Nós temos neste pequeno ciclo em que assumimos a equipa dois momentos negativos, que foram os jogos com o Portimonense e o Santa Clara. Nos outros, enfrentamos Porto, Benfica e Sporting. Estar a especular um período mais longo, também não é simpático para quem cá esteve».

Nuno Dantas / Estádio Municipal de Famalicão