Jorge Simão, treinador do Paços de Ferreira, em declarações na sala de imprensa do estádio Capital do Móvel, após o empate sem golos com o Arouca, em jogo da 9.ª jornada da Liga:

«Não foi uma exibição na linha do que temos feito. Acaba por ser um ponto conquistado com esforço, entrega e alma. São aspetos positivos numa equipa, mas não foi um ponto conquistado pela qualidade de jogo que já apresentámos. Foi um jogo complicado, muito atípico com as substituições forçadas. Em cinco substituições, quatro foram forçadas. Não quero apontar essa razão como a única para esta exibição de menor qualidade na primeira parte.

A entrada do Diaby foi um tónico importante. A tendência do jogo já tinha virado comparativamente com a primeira parte. Depois da expulsão o jogo entrou num patamar diferente. Acho que tivemos dificuldades na nossa circulação, na construção de jogo e em ligar os setores. Perdemos bolas à entrada da área que permitiram ao Arouca chegar com perigo à nossa baliza. Isso criou alguma insegurança na equipa. O jogo foi pouco conseguido na primeira parte.

Feitas as contas foi um ponto conquistado num campeonato muito duro para todos as equipas. Temos assistido a muito empates e as equipas a recuperarem de desvantagens. Por muito que não possa parecer fora da caixa, o campeonato é feito de pontos amealhados mesmo quando a equipa não consegue ter qualidade de jogo.

Desagrado dos adeptos? Compreendo, claro. Temos de aceitar. São reações naturais. Quem nos viu jogar sabe que conseguimos fazer muito melhor do que o que fizemos hoje. É normal, faz parte do futebol.»

[Sobre a exibição do André Ferreira]: «É com muita satisfação que falo do André. Falamos de um guarda-redes de 24 anos que nunca foi titular indiscutível enquanto sénior. Este ano tínhamos o Jordi e a ideia era o André não ser o número 1, mas aproveitou as circunstâncias e está a ter um crescimento sólido. É um motivo de satisfação. Ele tem feito exibições mais consistentes de forma consecutiva. Quem trabalhou com ele, reconhecia-lhe qualidade. Mas outra coisa é a capacidade para se assumir como titular numa equipa. Ele conseguiu dar esse passo e acho que ninguém tem dúvidas de que estamos muito bem na baliza. O mérito é dele, dos outros guarda-redes que trabalham como ele e do treinador de guarda-redes. Foram as coisas boas que este jogo nos deu. Além de um ponto, é positivo ver estes valores emergirem.»


 

Vítor Maia / Estádio Capital do Móvel, Paços de Ferreira