FIGURA

Bruno Fernandes: o médio leonino fez o primeiro aviso no jogo aos três minutos, numa investida que ainda admitiu recarga de Luiz Phellype, mas valeu a atenção de Ricardo Ribeiro. O jogador do Sporting foi dos mais interventivos na construção do jogo dos leões: recuperou, defendeu, cruzou e rematou, aparecendo em todo o lado. Esteve no primeiro golo do Sporting, cruzando para a finalização de Luiz Phellype. Bruno viria ainda a ser decisivo no encontro, depois de concretizar uma grande penalidade aos 79 minutos, que carimbou a vitória do Sporting. O melhor dos leões.

MOMENTO: Bruno carimba vitória (79’)

Um penálti fechou as contas do encontro. Um livre de Bruno Fernandes foi desviado com o braço por Luiz Carlos: o médio do Paços tinha o braço esquerdo aberto, com o qual intercetou a bola. Na concretização do castigo máximo, o médio leonino bateu rasteiro para a esquerda de Ricardo Ribeiro e assegurou o triunfo do Sporting.

OUTROS DESTAQUES:

Ristovski: jogo de estreia esta época pelo Sporting e exibição com nota positiva. O defesa esteve atento nos lances defensivos, construindo também, pela direita, o ataque dos leões. Conseguiu, várias vezes, rasgar em velocidade, criando oportunidades. Na defesa, viu-se por várias vezes em duelo com Hélder Ferreira, a exemplo aos 25 minutos, quando o jogador do Paços se estendeu em velocidade à procura de ficar sozinho na cara de Renan. No segundo tempo, o macedónio foi mais atrevido ofensivamente: aos 62 minutos dispôs de uma boa ocasião, ao rematar por cima perante Ricardo Ribeiro.

Douglas Tanque: entrou aos 58 minutos consigo trouxe potência. Foi a referência ofensiva do Paços de Ferreira na segunda metade da partida. O jogador mais forte na construção do ataque do Paços. Aos 68 minutos, testou a atenção de Renan, com um remate do meio da rua, obrigando o guarda-redes leonino a voar para evitar a igualdade. No entanto, viria mesmo a concretizar o empate aos 74 minutos: depois de um canto de Bruno Teles, o avançado, no coração da área, cabeceou para o fundo da baliza.

Luiz Phellype: de regresso a uma casa que não lhe é nada estranha, o avançado destacou-se pela eficácia. Sem grandes oportunidades no encontro, aos 11 minutos não vacilou e inaugurou o marcador no Estádio Capital do Móvel: após um cruzamento de Bruno Fernandes, de pé direito, rematou certeiro, sem hipóteses para o guardião do Paços.

Murilo: o extremo do Paços de Ferreira mostrou-se interventivo na construção de jogo, essencialmente na primeira metade. Colocou velocidade nas investidas ofensivas, demonstrando também um papel positivo a defender. No início da segunda parte construiu uma jogada com Bruno Santos, que apenas não deu o empate na partida devido a atenção de Renan.

Rafael Santos / Estádio da Capital do Móvel, Paços de Ferreira