FIGURA: Bruno Duarte

Uma assistência e um golo na cambalhota dos conquistadores para os três pontos em Paços de Ferreira. Deu o golo do empate a Óscar Estupiñán e assinou, em cima do minuto 90, o remate certeiro que permitiu ao Vitória sair por cima da Capital do Móvel. Saiu também com uma ovação especial dos adeptos, que cantaram por si no caminho para os balneários.

MOMENTO: Edwards serve Bruno Duarte para a decisão (90m)

O passe longo de Falaye Sacko para Marcus Edwards aparecer do lado esquerdo do ataque foi meio caminho para o golo do triunfo minhoto. O inglês dominou e cruzou atrasado para Bruno Duarte, solto de marcação, rematar de primeira com o pé direito para o fundo da baliza.

OUTROS DESTAQUES:

Óscar Estupiñán: entrou para a segunda parte e ilustrou no marcador o crescimento do Vitória depois do intervalo. Remate certeiro para o 1-1 no marcador a valer-lhe o quinto golo na época 2021/22, após uma boa jogada coletiva. O avançado colombiano de 24 anos, que se colocou ao lado de Bruno Duarte na ofensiva minhota, deu muito mais trabalho à defensiva pacense e justificou a aposta de Pepa.

Denilson Jr.: titular pela primeira vez desde 24 de outubro, o brasileiro voltou às boas exibições e não foi só pelo golo. Mostrou-se solto no ataque, com bons posicionamentos e sentido de baliza. Chegou a marcar aos 15 minutos num lance que acabou anulado com recurso ao vídeo-árbitro, mas inaugurou mesmo o marcador ainda na primeira parte, na sequência de um canto. Quinto golo numa época que tinha começado logo com três golos nos primeiros dois jogos oficiais, no verão.

Rafa Soares: o lateral-esquerdo foi um dos nomes que mais se evidenciou no encontro. Grande sentido ofensivo, com subidas certas à área do Paços, nomeadamente na segunda parte. Fica na retina um grande remate com o pé direito (o seu pior), aos 76 minutos, para defesa de André Ferreira, que já lhe tinha negado o empate nos primeiros minutos da etapa complementar.

Luiz Carlos: não encheu o campo porque não pode estar em todo o lado ao mesmo tempo, mas em muitos momentos pareceu. Exibição consistente no meio campo do Paços de Ferreira.

Rochinha: sempre móvel e irrequieto no ataque, procurou dar o desequilíbrio a favor da sua equipa numa altura em que ainda imperava a vantagem do Paços. Acabou substituído quando Pepa lançou Ricardo Quaresma em busca do resultado favorável, mas assinou uma exibição esforçada.

André Ferreira: impossível não falar do guarda-redes do Paços, o melhor da sua equipa a par de Denilson. Assinou um par de grandes intervenções que, porém, não chegaram para o Paços sair com um bom resultado.

Ricardo Jorge Castro / Estádio Capital do Móvel, Paços de Ferreira