Figura: André Almeida

O Benfica chegou pressionado a Tondela e o jogo começou da pior forma para a equipa de Rui Vitória, que se viu em desvantagem logo no primeiro minuto e precisou puxar dos galões para sair do Estádio João Cardoso com os três pontos. O capitão André Almeida assumiu o papel de destaque, puxou do estatuto e fez as assistências para os dois primeiros golos encarnados - Jonas (9m) e Seferovic (64m). Defensivamente não deu grande margem de manobra a Xavier (nem a Murillo, na segunda parte) e ajudou Rafa, pela ala direita, complicar a tarefa de Joãozinho na ‘asa’ esquerda da defesa tondelense.

Momento: expulsão de David Bruno abre caminho às águias (53m)

O lateral direito tondelense viu dois amarelos em dois minutos e deixou a equipa de Pepa reduzida a 10 unidades, com mais de meia-hora para jogar. A expulsão obrigou o técnico do Tondela a mexer na equipa e permitiu que o Benfica se galvanizasse e passasse a controlar totalmente a partida, aproveitando a situação da melhor forma com dois golos que completaram a remontada.

Menção honrosa: Jonas, pois claro

Esteve em todas o avançado brasileiro. Na primeira oportunidade do Benfica, Jonas não perdoou e deu o melhor seguimento a um cruzamento de André Almeida. Foi o segundo tento no campeonato para o experiente avançado, que voltou a ser decisivo no regresso aos triunfos da sua equipa. É também ele que abre caminho para André Almeida cruzar para o golo de Seferovic e que assiste Pizzi para este dar o golo a Rafa.

Outros destaques

Jhon Murillo

Uma autêntica seta na ala direita do ataque do Tondela (baixou de rendimento no lado do Tondela. Murillo criou grandes problemas a Grimaldo (na 1.ª parte) e numa das suas arrancadas nasceu o cruzamento que deu origem ao 1-0. Foi perdendo gás e acabou substituído aos 69 minutos.

Conti

Regresso ao eixo defensivo do argentino (fora expulso em Chaves, a 27 de setembro), face à ausência do castigado Jardel. Não podia ter começado pior a partida, com um autogolo aos 41 segundos, mas salvou a equipa de sofrer golo aos 37 minutos, com um corte providencial em cima da linha.

Rafa

Sempre irrequieto, o ‘baixinho’ deu muito trabalho a Joãozinho. Acertou no ferro aos 27 minutos e teve outra boa chance (30’) para marcar na primeira parte, o que haveria de acontecer aos 75 minutos, após passe magistral de Pizzi.

Seferovic

Cinco minutos. Foi esse o tempo que o suíço precisou para marcar, após ser lançado por Rui Vitória, colocando o Benfica em vantagem no marcador. Oportuno e eficaz, Seferovic estava no sítio certo e fez balançar as redes pela quarta vez esta época (terceiro golo no campeonato).


 

André Antunes Pereira / Estádio João Cardoso, em Tondela