De Vitinha e de Iuri Medeiros para Ricardo Horta.

Três nomes. Três pontos. E um coletivo sólido. Simples assim.

O Sporting de Braga conseguiu uma vitória segura sobre o Estoril e sai da jornada 13 da I Liga com o quarto lugar reforçado, com 25 pontos. Fica a seis do pódio – do Benfica – e deixa a equipa de Bruno Pinheiro a quatro pontos de distância.

Parece surpresa constatar, mas esta foi apenas a primeira derrota do Estoril fora – a segunda no campeonato – após quatro triunfos e dois empates fora de portas.

E isso aconteceu por mérito total do Sp. Braga e à boleia de um bis de Ricardo Horta após duas jogadas fantásticas, combinadas com Iuri Medeiros e Vitinha, para um triunfo moralizador antes de uma jornada europeia importante com o Estrela Vermelha, na quinta-feira.

A noite só não foi mesmo mais segura e plena porque o Sp. Braga foi obrigado a um esforço maior para gerir os 25 minutos finais, depois da expulsão de Lucas Mineiro por acumulação de amarelos, que lhe custa a ausência no Dragão dentro de uma semana (65m). Mas na reta final houve muito Matheus, os reajustes necessários na equipa e união para selar os três pontos.

O duelo valia o quarto lugar e o Sp. Braga desde cedo tentou mostrar que queria arrumá-lo. Ainda assim, o Estoril cedo mostrou competência defensiva e boa ocupação de espaços, que foram dificultando a ameaça da equipa de Carlos Carvalhal à baliza de Thiago. Uma ameaça que só surgiu por Ricardo Horta. E quase sempre por ele.

O guarda-redes do Estoril ganhou o primeiro duelo a Horta com uma boa saída (11m) e evitou-lhe a festa mais tarde ao defender um penálti assinalado por carga de Geraldes sobre Yan Couto.

Já por esta altura se via mais Sp. Braga do que Estoril, que ainda assim não deixou de tentar ferir lá à frente. Avisou num livre estudado e também por Patrick William e Rui Fonte após um canto, mas valeu Matheus para um respirar de alívio antes da eficácia.

Iuri Medeiros bailou sobre Ferraresi e serviu para um passe magistral de Vitinha que isolou Ricardo Horta para a conclusão. Cinco minutos volvidos, inverteram-se os papéis na assistência: Vitinha ganhou bem o lance na esquerda a Soria e cruzou atrasado para um grande passe de primeira de Iuri levar a bola à conclusão fantástica de Horta.

A segunda parte começou por ter mais Sp. Braga e o 3-0 foi mesmo uma questão de falta de pontaria, por Iuri Medeiros (47m). Bruno Pinheiro tentou mexer com o jogo ao lançar André Clóvis, Romário Baró e Chiquinho, mas o que mexeu mesmo com as contas foi a expulsão de Lucas Mineiro, que levou o Estoril para zonas mais ofensivas com alguma naturalidade e tirou algum do domínio e o controlo que o Sp. Braga estava a ter em campo.

Aí, houve muito Matheus, com uma mão cheia de ações decisivas a manter a folha limpa e o 2-0 no marcador, já com o estreante na I Liga Gorby e com Mario González em campo. Romário Baró ainda levou a bola ao poste e houve um lance para potencial penálti para o Estoril, mas Gustavo Correia foi ver as imagens e assinalou… um fora-de-jogo.

Quem acabou mesmo em grande foi Matheus com mais um enorme voo no último lance, a dar asas a um quarto lugar mais confortável para o Sp. Braga.
 

VÍDEO: o resumo da vitória do Sp. Braga

Ricardo Jorge Castro / Estádio Municipal de Braga, Braga