Jorge Sousa, considerado o melhor árbitro de 2014/15, falou à comunicação social após a cerimónia do sorteio das provas da Liga, e deixou claro que discorda do regresso do sorteio dos árbitros.

«Não tenho dúvidas de que o sorteio não será bom nem benéfico para o futebol português e em particular para a arbitragem. Fico mais tranquilo quando as próprias instâncias que lançaram o repto do sorteio, são as primeiras a dizer que reconhecem que o sorteio não é solução. Há aqui alguma incoerência e incongruência nas posições. Se vêm dizer que a solução não passa pelo sorteio, já não preciso fazer campanha pelas nomeações. Estamos a falar de coisas muito sérias e qualquer pessoa de bom senso percebe que as nomeações são o único caminho possível», defendeu.

Relativamente ao colega Marco Ferreira, que foi despromovido depois de de ter apitado a final da Taça de Portugal, Jorge Sousa deixou elogios: «Há um ano, se tivesse que mencionar o grupo dos melhores árbitros portugueses, o Marco Ferreira estaria referido. Um ano depois, e independentemente do que aconteceu, não mudei a minha opinião. Continuo a considerá-lo um dos melhores árbitros portugueses.»
 
Bertino Miranda, o melhor árbitro assistente de 2014/15, também deixou críticas ao sorteio: «Ninguém na vida gosta de ser sorteado. Nem conhecemos as regras. Sou do tempo do antigo sorteio e não foi bom. Como nos vamos motivar se podemos ficar duas ou três jornadas seguidas sem arbitrar. Com as nomeações, se estávamos em forma éramos nomeados, se não ficávamos de fora. O sorteio não consegue fazer isso.»
Jorge Anjinho