Rúben Amorim, treinador do Sporting, analisa a vitória sobre o Gil Vicente, em jogo em atraso da ronda inaugural da Liga:

«Começa a ser uma característica da equipa, acreditar até ao fim. Estrelinha de campeão não. Tentámos, não da melhor forma, mas o jogo só acaba aos 90. Aqui e ali podemos falar em estrelinha, mas tentámos. Fomos sempre a equipa que quis mais ganhar o jogo. Mas o Gil Vicente também joga, encaixou bem no nosso sistema, foi agressivo nas marcações. Fazia uma pressão baixa, mas depois saltava na pressão. Perdemos muitas bolas, o que deixou a equipa intranquila, mas deram tudo.»

«A equipa tem mostrado um enorme coração. Mesmo quando não corre bem, sentimos que podemos marcar a qualquer momento. Os jogadores estão a crescer.»

Nuno Travassos / Estádio José Alvalade, Lisboa