Pako Ayestarán, treinador do Tondela, na sala de imprensa, após vitória por 3-2 frente ao Moreirense:

«Estas duas vitórias relançaram a equipa. Tínhamos esse problema de não ganharmos fora. Temos sido capazes de eliminar esse bloqueio mental que tínhamos com dois grandes jogos. Hoje fizemos um grande início, com muita eficácia na chegada à baliza contrária. Tínhamos profundidade pelas alas, mas depois num canto eles marcaram e acreditaram. Depois mudaram a saída de bola e custou a adaptar a estes ajustes e acabaram por fazer o segundo golo.

No segundo tempo tivemos alturas que sofremos porque não conseguíamos ter bola e queríamos chegar muito rápido à baliza contrária. E com as substituições conseguimos equilibrar o jogo.

[ano mais tranquilo na luta pela manutenção] Depende do que possamos fazer nas próximas jornadas. Parece que estamos perto de conseguir o objetivo, mas também depende de como reagirem as outras equipas. O Marítimo tem 24 pontos e se ganhar fica com 27, fica a quatro pontos de nós. Os jogadores estavam a pedir-me folga amanhã, mas não é momento de folgas. É momento de trabalho e o Tondela não se pode permitir de achar que já tem a manutenção garantida.

[hat-trick Mario Gonzalez] Mario Gonzalez tem sido muito importante para nós, já marcou 12 golos, mas também foram importantes os jogadores que fizeram as assistências. Mas somos uma equipa e não podemos depender de um só jogador. O êxito é da equipa.

[o que falhou no início do segundo tempo] Acima de tudo por causa dos movimentos do Franco e do David. Estava a ser difícil fechar por fora e eles estavam a jogar bem por dentro. Quando tínhamos bola também a perdíamos com facilidade. Também temos de dar mérito ao Moreirense que é uma grande equipa e tem excelentes jogadores como o Filipe Soares, Franco ou David Simão».

Nuno Dantas / Estádio Comendador Joaquim Almeida Freitas