Cerca de 28 mil adeptos do FC Porto, segundo número veiculado pelos dragões, assistiram ao treino aberto de 1 de janeiro de 2017. Esta marca supera o registo de 2014, que se ficou pelos 23 mil.

Os responsáveis do clube portista viram-se obrigados a abrir uma bancada superior, já que a centrais e as laterais foram sendo preenchidas à medida que a hora do treino se aproximava.

A estreia de Kelvin, após período de empréstimo ao São Paulo, foi a nota dominante. O extremo brasileiro volta a integrar o plantel do FC Porto.

Miguel Layún não treinou, André Silva, Otávio e o regressado Kelvin trabalharam à parte. Rui Pedro voltou a surgir ao lado do grupo principal, ao contrário de Chidozie.

Depois de uma mensagem de Nuno Espírito Santo para os adeptos e a tradicional palestra, os adeptos tiveram a oportunidade de assistir a mini-jogos em meio-campo, com 15 golos.

 

Diogo Jota marcou o primeiro golo de 2017, batendo Iker Casillas. Por essa altura, estavam oito jogadores para cada lado.

Rúben Neves, Jesús Corona, Héctor Herrera, Depoitre, Evandro, Varela, Adrián López e Rui Pedro balançaram as redes nesse período.

Nuno Espírito Santo promoveu na reta final um desafio mais exigente, de onze para onze e com toques limitados. Corona acabou por surgir em plano de evidência. O mexicano marcou mais dois golos. Maxi Pereira, Felipe, Alex Telles e Danilo Pereira apontaram os restantes tentos.

Nota para um episódio curioso, com Laurent Depoitre a rematar em força, a errar a baliza e a acertar em cheio em Iker Casillas, que estava de costas a realizar exercícios. Gargalhadas no Estádio do Dragão.

A sessão de trabalho prolongou-se por cerca de uma hora e vinte minutos. No final, os jogadores distribuíram bolas pelos adeptos presentes. Ambiente de entusiasmo e esperança neste arranque de 2017.