Praticamente três meses depois do último jogo, o Vitória de Guimarães vai regressar à competição com um teste de fogo, frente ao Sporting.

Frederico Venâncio, jogador dos vimaranenses, admite que esta paragem forçada devido à covid-19 possa ter beneficiado os leões, que agora teve mais tempo para trabalhar às ordens de Rúben Amorim.

«Jogar contra o Sporting é sempre jogar contra um grande, vai ser sempre difícil. Esta paragem foi benéfica para eles, não digo que para nós não tenha sido, mas para eles foi melhor no sentido de poderem adquirir as ideias do novo treinador», disse, aos jornalistas.

«Se o campeonato não tivesse sido interrompido só teriam uma semana de trabalho [na altura do jogo frente ao Vitória de Guimarães], com esta paragem tiveram mais tempo para aprender as ideias do treinador», acrescentou.

O Vitória esta época não tem tido sucesso com as equipas do topo da tabela e, para Venâncio, isso explica-se com os detalhes: «Puxando a cassete atrás, tem sido uma questão de detalhes. Tivemos jogos contra essas grandes equipas em que ofensivamente criámos muito, mas na altura de fazer o golo não foi suficiente. E defensivamente bastava cometermos um erro e sofríamos logo. A grande diferença tem sido essa.»

Dado como apto pela Liga e pela DGS, o D. Afonso Henriques será um dos estádios a receber alguns dos jogos que restam até ao fim do campeonato. Para Venâncio, pode ser um ponto a favor da equipa de Ivo Vieira.

«Obviamente ficamos satisfeitos por podermos jogar no nosso estádio. No primeiro jogo alguns jogadores podem estranhar não termos o ambiente normal do Afonso Henriques, mas jogar no nosso estádio por si só poderá ser um ponto a favor», atirou o jogador de 27 anos, que garantiu ainda que o objetivo do Vitória continua a ser o apuramento para a Liga Europa.

Rafael Vaz