Declarações de Ivo Vieira, treinador do V. Guimarães, na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, após a derrota (0-2) frente ao Sp. Braga:

«Por aquilo que foi o jogo acaba por ser o resultado que se concretizou porque o Braga fez dois golos e não fizemos nenhum. Procurávamos os três pontos perante a nossa massa, é um momento de tristeza não poder dar aquilo que desejávamos. Foi o que o jogo deu, uma equipa com bloco médio baixo a jogar em transição. Provocou-nos muitos danos a joga em transição. Não fomos capazes de produzir o volume de jogo que normalmente fazemos e fez-se a diferença de jogo nessa eficácia do Braga, expusemos muito a equipa. O que fez a diferença foram os duelos que não se ganharam, o Braga foi mais competente. Perdemos três pontos, o caminho continua, obviamente que é duro este resultado em nossa casa perante os nossos adeptos, a verdade é que conseguiram ser mais fortes».

[Maior intensidade do Braga?] «Não é uma questão de querer mais ou não, o Braga é uma equipa bem composta em altura e muitas vezes os jogadores serem atléticos faz a diferença no jogo. Nas segundas bolas tiraram vantagem, são jogadores possantes, tivemos défice nesse momento do jogo, o que fez a diferença. Não me lembro de uma oportunidade de golo flagrante. Não há que esconder a realidade, o Braga foi mais competente do que nós duelos e isso fez a diferença no jogo. O desejo da equipa era dar uma vitória, não foi possível. Não está em questão o querer ou não querer. Quando damos aquilo que temos a mais não somos obrigados».

[Primeiro dérbi minhoto] «É um dérbi, o ambiente estava fantástico e daí nossa tristeza por não conseguir responder. Era um jogo apetecível, mas também a diferença pode-se fazer por aí. Não me quero esconder atrás da nossa juventude perante uma equipa com jogadores mais maduros, o que muitas vezes acrescenta algo ao jogo. Perante o que a equipa tem feito perante adversários fortes não havia razão para falhar hoje, não fomos competentes nem intensos o suficiente nos duelos. O dérbi tem sempre um peso emocional grande, mas temos de saber gerir o peso do mesmo com o que temos de fazer em cada momento do jogo».

Bruno José Ferreira / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães