Declarações de Julio Velázquez, treinador do V. Setúbal, na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, após a derrota (2-0) frente ao V. Guimarães:

«Para nós, neste momento, todo os jogos são vitais. Estamos a fazer algumas coisas bem, mas estamos a fazer muitas coisas más. Sou o responsável máximo. Hoje vinha num jornal declarações do treinador do Gil Vicente, que me parecem muito inteligentes. Há muitas coisas que não estão a ser bem-feitas. Pensávamos que a manutenção estava mais ou menos feita, estávamos a olhar para cima, mas como estamos a ver temos um problema. Estamos numa dinâmica muito má. Há situações que emocionalmente custam, como o primeiro vermelho; um vermelho ali, para mim, sinceramente é muito. Temos que ter muita mais vontade, trabalho, tudo… Há jogadores que foram excecionais, mas não fomos uma equipa. Estão a acontecer coisas muito particulares. Hoje, sinceramente, podíamos ter conquistado um ponto ou os três pontos, o jogo foi equilibrado, mas ou mudamos radicalmente o chip ou não sei. Entre as equipas que estão a lutar connosco, com dinâmica ascendente, e nós estamos numa dinâmica descendente. Ou fazemos as coisas como uma equipa ou não sei».

«Neste desporto temos de ter compromisso, como um todo. O treinador em primeiro. Não estamos a representar a equipa como temos de representar, com o treinador em primeiro lugar».

[Trabalho mental para preparar a equipa para o próximo jogo?] «Não é um trabalho mental. Não o conheço [Vítor Oliveira], apenas o cumprimentei no jogo, mas fala com um pragmatismo e com uma verticalidade impressionante. Gosto muito de ouvir porque é muito claro e muito sincero. Quando há coisas que não estão bem-feitas acontecem situações».

Bruno José Ferreira / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães