Numa noite em que o frio se fazia sentir, o V. Guimarães entrou a querer aquecer as coisas bem cedo, a querer demonstrar o porquê de ser a terceira melhor equipa fora de portas.

O primeiro aviso saiu dos pés de Rochinha, mas o remate acabou nas mãos de Joel Sousa, que hoje fez a sua estreia como guarda redes na Primeira Liga, depois de na temporada passada ter representado o Molelos, equipa dos distritais de Viseu.

Sem querer ficar para trás, os beirões ripostaram através de uma arrancada pelo flanco esquerdo levada a cabo por Rafael Barbosa, que cruzou para o coração da área vitoriana, mas com Tomislav Strkalj a rematar ao lado.

O Tondela não baixou a intensidade e optou por um bloco alto e pressionante. A tática beirã parecia resultar e depois de uma desatenção de Abdul Mumin, Rafael Barbosa consegue roubar a bola e dar para Salvador Agra, que rematou ao poste de Bruno Varela. Congelou a equipa forasteira e não foi pelo frio que se fazia sentir.

Rafael Barbosa continuou a assombrar a defesa adversária. Por breves momentos parecia que Maradona tinha reincarnado na pele do número 70 do Tondela, que em mais uma arrancada no flanco esquerdo acabou por driblar vários adversários, valendo a intervenção atenta de Abdul Mumin.

A primeira parte continuou muito equilibrada, com as duas equipas a disporem de poucas oportunidades de golo e com o jogo a ser mais discutido a meio campo.

O Vitória acabou por ter uma das oportunidades mais flagrantes aos 41 minutos. Passe a rasgar de Edwards para Bruno Duarte, que já dentro da área atirou para uma defesa crucial do estreante Joel Sousa.

O Tondela continuava a criar perigo através dos pés de Rafael Barbosa, que estava faminto por golos e que chegou a avisar Bruno Varela com dois remates potentes de meia distância. 

A primeira metade no encontro não terminou sem mais uma tentativa de golo para o conjunto da casa, que viu Salvador Agra tirar um cruzamento que mais parecia um remate. Passou a poucos centímetros da barra.

Depois de uma ida aos balneários para estudar novas soluções para o tão desejado golo, as duas equipas voltaram ao relvado, mas foi o Tondela quem entrou melhor.

A equipa comandada por Pako Ayestarán entrou a querer mexer no marcador e mostrou-se superior no marcador.

No entanto, nunca ninguém disse que o futebol era feito de justiça e depois de um erro crasso de Yohan Tavares, que cometeu falta dentro da área sobre Edwards, o árbitro assinalou grande penalidade. André André chamado a converter e no momento da decisão não vacilou e fez o 0-1 para o Vitória de Guimarães.

Motivado pelo primeiro tento da partida, os forasteiros queriam mais e Bruno Duarte deu. Rochinha isolou o avançado vitoriano, que na cara de Joel Sousa não tremeu e fez o gosto ao pé (0-2).

Quando as coisas estavam a desmoronar para o lado dos beirões, eis que o Tondela leva mais uma machadada no encontro. Falta perigosa de Salvador Agra sobre Pepelu, que valeu uma cartolina avermelhada direta para o extremo beirão.

Mesmo com menos uma unidade, o Tondela ainda foi tentando reduzir a desvantagem, mas nem as alterações feitas por Pako Ayestarán surtiram efeito.

O Vitória acabou por controlar o resto do encontro a seu gosto. Apesar de uma primeira parte pouco convincente, a turma de João Henriques conseguiu somar os três pontos e manter o estatuto de uma das melhores equipas a atuar fora de portas na Primeira Liga.

É caso para dizer que o regresso de Pepelu ao Estádio João Cardoso foi feliz. O médio que esta temporada se transferiu dos beirões para Guimarães, regressou e acabou por sair com a vitória no bolso.

Rafael Santos / Estádio João Cardoso, Tondela