Está terminado o sufoco do Famalicão; máquina de calcular arrumada. Sem vencer em Guimarães há 31 anos, os famalicenses arrancaram um triunfo (1-2) no D. Afonso Henriques e agarram assim a manutenção entre os grandes do futebol português. Um triunfo conseguido com um momento sublime.

Heriberto, poucos minutos depois de entrar em campo, traçou o destino do Famalicão com um grande golo a selar a cambalhota no marcador. O Vitória até entrou bem, marcou logo aos seis minutos, mas não teve armas para o domínio da equipa famalicense.

Fez a diferença o tal golo de Heriberto, ao minuto 85, um momento para ver e rever. Tirou Pepelu do caminho à entrada da área e rematou cruzado com as medidas certas, vendo a bola embater no travessão antes de entrar para dar início aos festejos do conjunto agora orientado por Ivo Vieira.

Entra a vencer não foi sinónimo de tranquilidade

Com o Vitória a poder encaminhar o objetivo europeu e o Famalicão a poder carimbar a permanência, mesmo o jogo não sendo definitivamente decisivo, acalentava um passo importante para ambas as equipas. Foi encaixada, portanto, a partida.

Vitória e Famalicão tiveram dificuldades a sair a construir de trás face à pressão adversária, pelo que a chave do jogo esteve em dois momentos: na capacidade de os setores recuados não cometer erros e na capacidade adversária de aproveitar esses erros.

Foi assim que o Vitória se adiantou no marcador logo aos seis minutos. Má saída do Famalicão, Pepelu recupera e dá para Lameiras isolar Bruno Duarte, que de regresso ao onze não desperdiçou na cara de Luiz Júnior.

Entrada a vencer do Vitória, que não foi impeditivo para que o Famalicão chegasse ao empate e estivesse por cima na primeira metade. A meio do primeiro tempo Kraev igualou o encontro a corresponder da melhor forma à solicitação de Guedes.

Intenso até à classe de Heriberto

Um assédio famalicense que continuou após o descanso, com o conjunto de Ivo Vieira, de regresso a Guimarães, a remeter a equipa da casa ao seu meio campo. Fez por equilibrar a toada como pôde o V. Guimarães.

Sem grande qualidade, até porque o discernimento não permitiu grandes momentos, a segunda metade foi intensa. Pepê, mais um jogador que regressou a Guimarães, tal como Guedes e Ivo Rodrigues, tirou as medidas de longe com um grande remate.

Até que a cinco minutos dos noventa o tal momento de inspiração e Heriberto decidiu o jogo para o Famalicão, a equipa mais forte no jogo. Grande golo de Heriberto a selar as contas do Famalicão e a complicar as do Vitória, que parte para as duas últimas jornadas com dois pontos de vantagem para os perseguidores.

Bruno José Ferreira / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães