FIGURA: Heriberto
Entrou para resolver o jogo e as contas do Famalicão, e não o fez de forma simples. Assinou a cambalhota no marcador com um grande golo, o segundo da temporada, um momento sublime de levantar qualquer estádio. Nove minutos depois de ter entrado em campo o extremo marcou e sossega definitivamente as hostes famalicenses naquele que foi o momento do jogo.

MOMENTO: golo de Heriberto (85’)
Que momento de Heriberto, magia pura a decidir o embate no D. Afonso Henriques. Driblou Pepelu enquadrando-se para o remate em arco de fora da área, enchendo o pé e atirando com as medidas certas. Bruno Varela ainda tocou no esférico, desviou para a trave, mas sem força suficiente para tirar o momento de glória a Heriberto. Grande golo.

OUTROS DESTAQUES

Bruno Duarte
Regressou ao onze e precisou apenas de seis minutos para, quase meio ano depois, voltar aos golos. Bom gesto técnico a adiantar o Vitória no marcador logo nos instantes iniciais do encontro.

Pepê
De volta a Guimarães, o médio do Famalicão encheu o campo e deu dimensão ao jogo do Famalicão, quer na manobra defensiva quer no critério e simplicidade que emprestou às movimentações ofensivas. Esteve perto do golo com um remate de fora da área.

Rochinha
Uma vez mais o mais fantasista do Vitória, ainda que desta vez sem a produtividade desejada. Serpenteou por entre o setor mais recuado famalicense, procurando espaços para provocar desequilíbrios.

Kraev
Estreia a marcar do médio búlgaro com a camisola do Famalicão, num estádio onde já tinha feito o gosto ao pé com a camisola do Gil. Boa movimentação e finalização eficaz, de carrinho, a fazer, na altura, o empate.

Bruno José Ferreira / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães