FIGURA: Rúben Ribeiro
Mesmo tendo praticamente passado ao lado do jogo e não tendo intervenções determinantes até aos descontos, a forma como trabalha o esférico é claramente diferenciada. Numa tarde de desinspiração coletiva o seu talento destacou-se mesmo assim, pela forma como segura a bola e como a qualquer momento ameaça decidir com uma jogada de mestre. Fez o empate, renascendo e fazendo renascer o Gil Vicente para este jogo.

MOMENTO: golo de Kraev (90+10’)
Abordagem deficitária de Sacko ao lance, que parecia estar completamente controlado, deixando Rúben Ribeiro ganhar-lhe a frente e ficar em posição de remate. Na cara de Douglas Rúben Ribeiro teve frieza para atirar com convicção para o fundo das redes e selar a  

OUTROS DESTAQUES

Marcus Edwards
Mais um momento de magia tirado da cartola do inglês, a entregar o golo vimaranense a Bruno Duarte. Encarou Banguera ultrapassando o oponente em velocidade e depois sentou Ygor Nogueira antes de fazer o passe. Foi insuficiente.

Soares
O ponto de equilíbrio deste Gil Vicente, o capitão de equipa foi importante a ocupar espaços e a encurtar o raio de ação do Vitória, e teve critério a distribuir jogo no setor intermediário da equipa montada por Vítor Oliveira.

Bruno Duarte
Decidiu para o V. Guimarães pela segunda jornada consecutiva, mostrando instinto finalizador. Limitou-se a encostar, mas para isso valeu-se do posicionamento e da boa leitura do lance. Prestação com muita luta.

Kraev
Entrou a treze minutos dos noventa, sendo suficiente para fazer o gosto ao pé e ser peça preponderante no triunfo gilista. Remate cruzado num dos derradeiros lances do encontro, a fazer a diferença.

Mikel Agu
Desde que entrou para o onze a consistência da equipa de Ivo Vieira tem sido outra. Voltou a estar sólido à frente da defesa, fazendo-se valer da sua capacidade física, cotando-se igualmente como uma unidade a ter em conta no capítulo ofensivo.

Bruno José Ferreira / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães