O V. Guimarães regressou aos triunfos ao acertar calendário com uma vitória na receção ao Nacional (3-1). Apesar de entrar a perder no jogo a equipa de João Henriques operou a cambalhota no marcado com uma trivela de Quaresma e dois erros provocados por Marcus Edwards.

Derreteu finalmente o gelo do D. Afonso Henriques e Vitória e Nacional puderam acertar calendário, disputando o jogo da jornada 12 da Liga que estava agendado para o dia 3 de janeiro.

Depois de dois jogos sem vencer, o Vitória prolonga o mau momento do Nacional da Madeira, que somou a quarta derrota consecutiva, e aproxima-se do quinto posta da tabela classificativa. Gorré ainda adiantou os insulares no marcador, mas foi mais forte a equipa da casa.

Um arco e uma trivela a destoar do dilúvio

Foi-se o gelo caiu um autêntico dilúvio para a entrada das equipas em campo. Cenário incaracterístico, tal como a primeira parte do jogo. Vitória e Nacional cometeram vários erros defensivos, dividiram lances de ataque e falharam vários passes sem que nenhum dos conjuntos conseguisse pegar inequivocamente no jogo.

Valeu um arco e uma trivela a destoar do dilúvio que caía e que parecia ter influência à flor da relva. Adiantou-se no marcador o Nacional a passagem do primeiro quarto de hora. Gorré aproveitou o espaço no meio campo e encheu-se de fé, disparando de fora da área. Entre o arco traiçoeiro que o esférico fez e a apatia de Bruno Varela a bola entrou praticamente no centro da baliza.

Durou apenas cinco minutos a vantagem. Reagiu o Vitória por intermédio de Quaresma, que pôs a trivela a funcionar e bateu Daniel Guimarães. Remate cruzado com selo de golo a igualar o encontro.

Cambalhota provocada por Edwards

Entra mais estável o Vitória na segunda metade, conseguiu aquilo que nenhuma das equipas conseguiu no primeiro tempo, assentando o seu jogo. Esteve por cima e acabou por operar uma cambalhota no marcador que cedo se começou a perspetivar.

Edwards fica umbilicalmente ligado ao triunfo ao provocar dois erros à defensiva insular. Dois cruzamentos venenosos levaram Daniel Guimarães a erra numa primeira instância, deixando a bola em zona proibida para Estupinan marcar perante a inércia contrária, e depois Lucas Kal desvia a bola para a própria baliza.

No primeiro jogo em casa este ano civil, depois de dois jogos adiados, o Vitória volta a vencer em casa e aproxima-se do quinto lugar, impondo a quarta derrota consecutiva ao Nacional da Madeira.

Bruno José Ferreira / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães