O Tondela conseguiu o primeiro triunfo fora de portas esta temporada no D. Afonso Henriques. Na fuga aos últimos lugares a equipa de Ayestarán venceu por duas bolas a uma com um bis decisivo do espanhol Mario Gonzalez, agudizando assim a crise de resultados na cidade berço.

Os vimaranenses averbaram a quarta derrota consecutiva e, não só perdem a possibilidade de tentar chegar à frente na tabela classificativa, como cada vez mais ficam mais próximos dos mais diretos perseguidores. Prestação para esquecer da equipa de João Henriques.

O técnico prometeu uma equipa com saúde após a pausa competitiva, mas a realidade é que o Vitória esteve pouco acutilante ofensivamente, sem ideias, e demasiado exposto a nível defensivo. Sem vencer fora e com apenas dois pontos conquistados longe de Tondela, os beirões aproveitaram a pouca energia da equipa da casa para equilibrar forças e para se superiorizar no resultado.

Estupiñán disfarça lacunas

Amorfo, sem rotinas de jogo e, acima de tudo, sem alma, o Vitória de Guimarães apresentou-se em campo completamente permeável, ficando facilmente à mercê de um Tondela personalizado e que não se escusou a entrar de forma espevitada no Estádio D. Afonso Henriques.

Foi mais competente a equipa de Ayestarán, soube sair da pressão e com facilidade explorou as costas da defesa adversária, criando várias situações de frisson. Depois de várias ameaças a meio da primeira metade Mario Gonzalez, a figura do jogo, deu expressão à maior audácia beirã. Cruzamento de Filipe Ferreira na esquerda, Jorge Fernandes falhou o corte e o atacante espanhol desviou por entre as pernas de Bruno Varela.

Aos quarenta minutos, quando caminhava para o intervalo sem um remate enquadrado com a baliza, Estupiñán ameaçou o resgate da equipa de João Henriques. Sacko tirou o cruzamento largo e o colombiano ganhou nas alturas a Yohan Tavares, cabeceando para o fundo das redes. Um disfarce às várias lacunas da equipa da casa.

Mario Gonzalez não desarma

Foi mais equilibrada a segunda metade. Faltou critério, as duas equipas cometeram vários erros e o jogo pareceu sempre estar comprometido de parte a parte. Fez por estar por cima o Vitória, tinha mais obrigação e mais pressão para isso.

Quaresma saltou do banco para ajudar ao chuveirinho final numa fase em que a equipa da casa este efetivamente por cima do jogo. Ainda assim, ia faltando critério, fio de jogo e equilíbrio à equipa. Depois de marcar na primeira metade o espanhol Mario Gonzalez voltou a fazer o gosto ao pé a treze minutos dos noventa, carimbando o triunfo do Tondela. Oito meses depois os beirões voltaram a vencer fora com um grande golo. Cruzamento de Bebeto, remate de primeira do espanhol.

Brilhou Trigueira na fase final, carregou o Vitória de fome incessante, com a coragem que pareceu faltar no resto do jogo. Somaram-se as oportunidades, faltaram os tiros sorteios e o guarda-redes Trigueira ganhou um lugar nos destaques do jogo. Agarrou-se à vantagem o Tondela e ganha fôlego na fuga aos últimos lugares.

Bruno José Ferreira / Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães