A FIGURA: João Lopes

Chamado à titularidade, o guardião brasileiro de 23 anos justificou e bem a aposta de João Henriques. Diante de um Vitória de Setúbal atrevido e imprevisível, soube responder com eficiência, protagonizando saídas determinantes na inviolabilidade das redes açorianas. Foi também irrepreensível nos lances mais conturbados na pequena área. Caso para dizer, que João foi esta tarde o padroeiro da baliza do Santa Clara.

--

O MOMENTO: Cabeceamento de Guilherme Schettine, aos 90 minutos

Já no tempo de compensação, o avançado brasileiro podia ter marcado o golo que carimbava a manutenção do Santa Clara o principal escalão do futebol português, à 31ª jornada.Pablo foi exímio no cruzamento, mas Schettine ao rematar de cabeça teve o poste da baliza como obstáculo.

--

OUTROS DESTAQUES:

Cádiz – O avançado venezuelano, que tem sido dado como a nova contratação do Benfica, foi o jogador que se mostrou mais disposto a bater João Lopes. Cedo conseguiu ‘ler’ os vazios do bloco defensivo do Santa Clara e tirou partido disso, do início ao fim do jogo. Só faltou mesmo pontaria…

Mendy – Entrou para o lugar de Berto e trouxe ainda mais perigo à frente de ataque do Vitória. Por pouco não colocou os sadinos em vantagem no marcador, com um remate cruzado que se não tivesse oposição no poste baliza, dificilmente João Lopes alcançaria o esférico.

Osama Rashid - Para além de carimbar alguns dos lances de maior perigo do Santa Clara, o médio iraquiano foi um elemento importante na distribuição de jogo dos insulares. A forma como consegue ocupar diferentes flancos no esquema tático da equipa de João Henriques continua a ser um dos pontos fortes de Rashid.

Luísa Couto / Estádio de São Miguel, Ponta Delgada