A FIGURA: DIOGO GONÇALVES

Muita classe na forma como inaugurou o marcador ao quarto de hora, ao picar a bola sobre Makaridze. Com mais espaço para jogar do que Fábio Martins no flanco oposto, foi muito solicitado pelos companheiros e deu muito trabalho a André Sousa e a Pirri, quer em incursões à procura da linha de fundo para cruzar, quer em movimentos diagonais. Bisou aos 89 minutos, numa finalização após uma movimentação inteligente no coração da área sadina. Aos 23 anos, o jogador pertencente aos quadros do Benfica está na época de afirmação no futebol profissional e a mostrar que tem qualidade para outros voos.

 

O MOMENTO: GOLO DE DIOGO GONÇALVES, MINUTO 89

Só uma vitória permitiria ao Famalicão assumir um lugar europeu à saída da 32.ª jornada. A equipa de João Pedro Sousa não foi tão autoritária como noutros jogos do campeonato, mas nunca deixou de procurar os três pontos e foi recompensada ao cair do pano. O bis de Diogo Gonçalves escancarou as portas da Liga Europa à equipa minhota.

 

OUTROS DESTAQUES

Jubal: foi o autor do golo do Vitória e esteve sempre muito sólido e concentrado no plano defensivo. Não conseguiu evitar que Anderson ganhasse espaço para cruzar no lance do segundo golo dos minhotos, mas as responsabilidades no lance começam mais à frente.

Éber Bessa: jogo de enorme compromisso do pequeno médio brasileiro, que mostrou muita entrega nos duelos. Foi dele o primeiro remate de perigo dos sadinos, um minutos antes de cobrar o canto do qual nasce o 1-1. Caiu de rendimento na segunda parte, talvez pelo desgaste que teve nos primeiros 45 minutos.

Anderson Silva: nos primeiros meses do campeonato foi a arma secreta do Famalicão, pela forma recorrente com que marcava golos após saltar do banco. Esta segunda-feira não marcou, mas assistiu Diogo Gonçalves para o 2-1 final. Estava há oito minutos em campo quando voltou a ser decisivo.

David Marques