Uma mãe e os seus seis filhos foram expulsos de um voo da companhia aérea Jetblue Airways esta quarta-feira após uma das filhas, de dois anos, se ter recusado a usar máscara.

Foi extremamente traumatizante para mim e para a minha família”, disse Chaya Bruck, a mãe de 39 anos, numa entrevista ao canal norte-americano ABC.

Bruck afirma que tentou colocar a máscara no rosto da filha mais nova, mas que foi uma tarefa improdutiva, já que a criança a retirava em todas as tentativas.

Devo prender-lhe as mãos? O que é que devo fazer?”, perguntou a mãe, segundo um vídeo do incidente. “Vamos ter de pedir o desembarque”, respondeu a assistente de bordo, sublinhando a política de tolerância zero em relação ao uso da máscara.

De acordo com as imagens partilhadas no Youtube, os passageiros do voo de Nova Iorque com destino a Orlando manifestaram-se a favor da mãe.

 

Segundo um porta-voz da JetBlue, a política em relação aos métodos de segurança para combater a pandemia de covid-19 foi atualizada no dia 10 de agosto para garantir o “o uso generalizado da máscara - tanto em crianças, como em adultos”.

A política vai ao encontro das recomendações do Centro para a Prevenção de Doenças que diz que crianças com mais de dois anos devem usar a máscara de proteção.

Após o incidente, a empresa publicou um comunicado a sublinhar que , durante estes tempos sem precedentes, os “passageiros recebem no seu e-mail todos os protocolos de segurança, incluindo as políticas relacionadas com o uso da máscara.

Os passageiros que se recusem a cumprir estas normas podem não voltar a voar com a companhia.