O autor italiano Roberto Saviano, que depois de ter publicado «Gomorra» passou a viver escondido da máfia napolitana, foi distinguido com o prémio Pen/Pinter Internacional, pela coragem em denunciar aquela organização criminosa, anunciou o PEN Clube, noticia a Lusa.

O galardão literário, criado pelo PEN Clube em memória do dramaturgo Harold Pinter (1930-2008), Nobel da Literatura 2005, é anualmente atribuído a um escritor britânico que lance um olhar «firme, inabalável» sobre o mundo, e também a um «escritor de coragem» perseguido por defender as suas convicções.

Em Agosto já tinha sido anunciado o nome do vencedor britânico, o argumentista David Hare.

O nome de Roberto Saviano só foi anunciado na segunda-feira à noite, durante a cerimónia de entrega do prémio, em Londres.

«Roberto Saviano enfrentou a Máfia napolitana, primeiro com o livro e depois com o filme feito a partir de «Gomorra», e fê-lo pondo em risco a sua segurança. A minha esperança ao partilhar este prémio com ele é que este reconhecimento possa tornar a sua vida mais fácil», afirmou David Hare na cerimónia de entrega do Pen/Pinter.

Apesar de não ter estado presente na entrega do prémio, Roberto Saviano enviou uma mensagem de agradecimento, divulgada pela organização.

«Quando sentes que tantos precisam de ver, de saber e de mudar, e não apenas serem entretidos e confortados, então vale a pena continuar a escrever», afirmou.

Com «Gomorra», lançado em 2008 e que rapidamente se transformou num sucesso editorial mundial, Roberto Saviano demonstrou como o fenómeno mafioso opera de modo transnacional, utilizando o crime organizado para incentivar os lucros.

As revelações feitas por Saviano nesse seu primeiro livro, onde cita nomes e lugares, valeram-lhe a condenação à morte por parte da Camorra, pelo que está desde então com protecção policial permanente.

Nascido em Nápoles, em 1979, Roberto Saviano, licenciado em Filosofia pela Universidade de Nápoles, é colaborador de vários jornais e revistas internacionais, nomeadamente os italianos «L`Espresso» e «La Repubblica», o norte-americano «Washington Post» e a revista «Time», o diário espanhol «El País», «Die Zeit» e «Der Spiegel» (Alemanha) e o inglês «The Times».

Roberto Saviano imprime à sua escrita o estilo de reportagem para narrar a história de Camorra, a poderosa máfia napolitana, expondo o seu território e a sua rede de negócios e fornecendo um olhar, em primeiro plano, sobre o violento e internacional império do crime organizado de Nápoles.

O livro inspirou uma peça de teatro com o mesmo nome, que ganhou o prémio das Olimpíadas de Teatro 2008 para Melhor Novo Escritor Italiano, e um filme, «Gomorra», que ganhou o Prémio do Júri no Festival de Cannes.