* com Henrique Machado (TVI)

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, foi ouvido esta segunda-feira no âmbito de um processo de suspeitas de fraude fiscal.

«O presidente prestou esclarecimentos no âmbito de um processo suscitado pela Autoridade Tributária, no qual são levantadas dúvidas de natureza fiscal, relacionadas com IVA e IRC», explicou fonte do Benfica ao Maisfutebol e à TVI.

O jornal A Bola, que avançou com a notícia, adianta mesmo que Luís Filipe Vieira foi constituído arguido, tal como a Benfica SAD  a Benfica Estádio, mas a mesma fonte do Benfica garantiu ainda não ter informação nesse sentido, pelo menos para já.

O diário desportivo também acrescenta que as diligências vão prosseguir esta terça-feira, uma vez que está previsto ser ouvido Domingos Soares Oliveira, administrador da SAD do Benfica, e também Miguel Moreira, diretor financeiro.

Estas inquirições estão relacionadas com um processo já noticiado em 2018, denominado «Operação Saco Azul», que motivou buscas na Luz por parte da Polícia Judiciária.

O comunicado então divulgado pela Procuradoria-Geral da República falava em indícios de que, «a coberto de uma suposta prestação de serviços de consultoria informática, foram realizadas várias transferências bancárias para uma conta titulada por uma outra sociedade, num valor total de 1.896.660€, montantes esses que acabavam depois por ser levantados em numerário», e acrescentava ainda que «esta última sociedade terá sido utilizada com o único propósito de retirar dinheiro das contas do Benfica».

A SAD encarnada garantiu então que o caso envolvia «empresas terceiras».

Foram então constituídas arguidas 3 pessoas singulares e 3 pessoas colectivas.

Nuno Travassos