O Valência viveu uma época que teve tanto de conturbado como de negativo, que valeu um pouco habitual nono lugar no campeonato, deixando o conjunto che fora das competições europeias.

E a nova época começou também de forma inesperada, com a saída de dois dos principais jogadores do clube para o rival Villarreal: Parejo e Coquelin.

Em entrevista exclusiva à TVI, Gonçalo Guedes falou sobre a contestação de que tem sido alvo a direção do Valência, defendendo que aos jogadores cabe apenas jogar.

«A direção tem tomado as decisões que entende que são as melhores para o clube e nós jogadores temos de aceitar. Temos contrato e temos de fazer o nosso trabalho, independentemente do que decidem os dirigentes e os donos do clube», começou por dizer.

Além dos dois jogadores já referidos, registou-se a saída de mais duas das figuras do clube, Ferrán Torres para o Manchester City e Rodrigo para o Leeds. Será que isso significa que Guedes fica com ainda mais responsabilidade para ser a figura do clube? O português não acredita.

«Com eles ou sem eles, eu iria dar tudo para ser o melhor e jogar o máximo de tempo possível. São jogadores que têm muita qualidade, ao lado de quem foi um grande orgulho jogar. Dois foram para um rival, mas vamos fazer tudo para conseguir uma grande temporada», assegura.

Também no banco houve mudanças, com a chegada de Javi Garcia para guiar o clube à Liga dos Campeões, que Guedes assume ser o objetivo da época.

«O novo treinador traz as suas ideias de jogo e todos estamos a trabalhar em prol do mesmo objetivo. Saíram alguns jogadores importantes do nosso plantel, mas o futebol é mesmo assim, temos de olhar para a frente. Queremos fazer muito melhor do que na época passada e conseguir o acesso à Champions, que é o objetivo. Sabemos que não é fácil, mas vamos fazer tudo para o conseguir», remata.

Pedro Ramalho