O Monaco de Leonardo Jardim teve de suar para bater o Rennes em casa, por 3-2, enquanto o Bordéus de Paulo Sousa caiu em casa diante do Saint-Étienne (0-1), num jogo ingrato, em que os girondinos tiveram várias oportunidades para marcar e acabaram por sofrer em tempo de compensação.

Resultado extremamente ingrato para os girondinos que dominaram praticamente todo o jogo, tiveram várias oportunidades para marcar, mas acabaram por perder. O St. Étienne, sem fazer muito por isso, somou a terceira vitória consecutiva, todas por 1-0.

A grande figura da partida acabou por ser o guarda-redes do St. Étienne, Ruffier, que anulou todas as oportunidades do Bordeús, negando golos a Kamano (16m), Adli (31m) e Hwang (67 e 80m). Já em tempo de compensação, Nordin foi travado por Pablo no interior da área e o árbitro, depois de ouvir o VAR, acabou por marcar para a marca de grande penalidade e Bouanga atirou a contar.

Balde de água gelada para o Bordéus que, assim, segue no quinto posto, enquanto os Verts sobem ao nono lugar.

Mas abaixo na classificação, jogo com duas reviravoltas no Estádio Louis II. O Monaco entrou a ganhar, permitiu a reviravolta do Rennes, mas acabou por reclamar os três pontos nos instantes finais.

A equipa de Leonardo Jardim, com Adrien e Gil Dias entre os titulares, entrou no jogo praticamente a ganhar, com Ben Yedder a abrir o marcador logo aos três minutos. No entanto, os visitantes empataram por Faitout Maouassa, aos 12 minutos, e passaram para a frente do marcador logo no início da segunda parte, com um golo de Adrien Hunou.

O Monaco voltou a empatar o jogo, dois minutos depois, com um golo do ex-sportinguista Slimani, mas só chegou à vitória em tempo de compensação, com mais um golo de Yedder.

A equipa de Leonardo Jardim afasta-se da zona de despromoção e sobe até ao 14.º posto, enquanto o Rennes segue no 12.º lugar com os mesmos 12 pontos do que os monegascos.

Confira a classificação