Portugal joga neste domingo, a partir das 15 horas de Portugal, o segundo jogo da fase de grupos do Europeu de andebol.

Após surpreende a seleção francesa no primeiro jogo, Portugal procura dar seguimento a esse excelente resultado e, em caso de triunfo diante do conjunto balcânico, fica muito perto de um apuramento que seria pouco expectável à partida para a competição.

Porém, em declarações aos jornalistas, Paulo Fidalgo, treinador-adjunto de Portugal, apontou algumas das dificuldades que o jogo encerra.

«Este é um jogo em que a Bósnia não tem rigorosamente nada a perder, até porque é a primeira vez que participa num Europeu e isso pode ser um fator-extra para procurarem uma vitória”, começou por dizer.

Contudo, respondendo diretamente à questão se Portugal partia como favorito para a partida, Fidalgo disse que sim… sem o dizer.

«Depois de vencer a França por duas vezes em poucos meses, obviamente, temos de assumir que queremos ganhar à Bósnia e que temos armas para isso.»

O técnico sublinhou ainda alguns dos pontos fortes da Bósnia, lembrando «o excelente jogo que fez com a Noruega, num contexto claramente desfavorável.»

«A Bósnia, tal como outras equipas dos Balcãs, tem uma arma que a França não demonstrou: um lado patriótico e emocional que faz os jogadores superarem-se muitas vezes», analisou.

Recorde-se que o Portugal-Bósnia vai ser acompanhado AO MINUTO no Maisfutebol.

Adérito Esteves / enviado especial a Trondheim, Noruega