Julio Velázquez, treinador do Marítimo, em declarações aos jornalistas após o empate com o Arouca (2-2):

[Análise ao jogo]

«Foi um jogo muito particular. Merecíamos ganhar, sem dúvida alguma, pelo que fizemos em campo. Entrámos bem, embora tenha faltado intensidade em alguns lances, o que nos levou a ter de correr atrás do resultado devido a um golo absurdo que levámos. A partir do golo custou-nos a reagir nos primeiros minutos, mas depois a resposta da equipa foi muito interessante. Fomos melhorando, pressionando melhor e cometendo menos erros. E acabámos a primeira parte a vencer e por cima do jogo.

Na segunda parte acho que fomos melhores e tivemos ocasiões para ampliar a vantagem. Sofremos um pouco, até à entrada do Pelágio, porque defendíamos demasiado baixo. Faltou-nos materializar algumas das oportunidade que tivemos e, ao deixarmos o jogo em aberto, veio o golo de livre deles.

Depois, com a expulsão, tivemos de ir contra a corrente absoluta. Mas nos últimos minutos o trabalho da equipa foi bom, com atitude e vontade. Quanto ao empate, mais à frente poderá ser valorizado, mas estou chateado. Gosto de ser ambicioso, de querer mais e mais, e não me conformar, até porque representamos um clube importante. 

Temos de melhorar, e já devíamos ter nove pontos. Mas acho que a equipa vai evoluir ainda mais. Falta controlar certos detalhes e querer mais. Os adeptos, que foram excecionais, merecem mais ambição da nossa parte.»

[Próximas jornadas fora de casa]

«Fico chateado quando perco em casa como também fora de portas. Não penso no jogo seguinte. Todos os jogos são importantes, mas penso sempre um de cada vez. O jogo de hoje era o mais importante. Depois será o do Famalicão, e mais tarde o do Sporting. E estou completamente seguro que esta equipa vai dar uma boa resposta e fazer uma época tranquila.»

Raul Caires