O Banco Comercial Português (BCP) lidera ganhos e volume de negócios. As acções do maior banco privado português somam 2,02% para os 2,02 euros, tendo já negociado mais de 12 milhões de títulos.

Em alta segue também a Portugal Telecom (PT), com um ganho de 0,44% para os 9,09 euros. A subsidiária PT Multimédia acompanha a casa-mãe. A dona da TV Cabo sobe 0,47% para os 19,09 euros.

Já a Energias de Portugal (EDP) estabilizou nos 2,28 euros.

Depois dos ganhos deste início de ano, existe quem aproveite para realizar mais-valias. É o que acontece nas cotadas do Grupo Sonae. A Sonaecom recua 0,26% para os 3,86 euros, enquanto que a Sonae SGPS segue inalterada nos 1,12 euros, depois de ter estado no vermelho.

Já a Reditus continua a ser dominada pela realização de lucros, após a acentuada valorização no final do ano passado. As acções da tecnológica descem 3,46% para os 4,18 euros.

No resto da Europa, é a cautela que está a dominar o cenário. Os investidores preferem aguardar pelos dados sobre a criação de emprego nos Estados Unidos para depois entrarem no mercado. Para já, o índice alemão DAX é o único que se tem mantido no vermelho. Desce 0,04%. O índice parisiense CAC perde 0,02%, ainda que sem um rumo definido. Pelo contrário, o índice londrino FTSE soma 0,47% e o índice madrileno IBEX avança 0,2%.

Os mercados accionistas asiáticos terminaram a última sessão da semana em queda. O índice Nikkei da bolsa de Tóquio, no Japão, fechou a perder 0,51%, acompanhado pelo índice Hang Seng, de Hong Kong, que desceu 1%.

As bolsas norte-americanas fecharam a sessão de quinta-feira em terreno misto. O índice Dow Jones ganhou 0,24% impulsionado pelas retalhistas, enquanto que o índice Nasdaq recuou 0,4%.
Sandra Pedro