Os títulos da empresa do Grupo Amorim sobem 4,31% para os 1,21 euros, a aliviar do máximo nos 1,24 euros desde Setembro de 2004. De facto, a Corticeira Amorim lidera não só nos ganhos mas também no volume de negócios. Já negociou 2,2 milhões de acções, quando a EDP transaccionou pouco mais de dois milhões. A empresa reforça assim os ganhos da última sessão, que a fizeram disparar 9%. As boas perspectivas de crescimento para este ano e o facto de ser uma das favoritas no relatório anual da Caixa Banco de Investimento estão a impulsionar o título.

A Jerónimo Martins também segue em alta, depois da apresentação das vendas preliminares de 2004. Os números saíram de acordo com as estimativas dos analistas. As acções ganham 0,6% para os 10,08 euros.

Dos pesos pesados, o Banco Comercial Português (BCP) está a querer puxar o principal índice nacional para terreno negativo. Os títulos do maior banco privado português recuam 0,5% para os 1,99 euros, ainda sob efeito de tomada de mais-valias.

Já a Energias de Portugal (EDP) sobe 0,44% para os 2,28 euros, acompanhada pela Portugal Telecom (PT), que soma 0,33% para os 9,09 euros.

No resto da Europa, o sentimento negativo invadiu os principais mercados bolsistas. As vendas das retalhistas europeias no mês de Dezembro estão aquém as expectativas, o que está a elevar o pessimismo entre os investidores. O índice parisiense CAC perde 0,725, o índice alemão DAX desce 1,04%, o índice espanhol IBEX recua 0,51% e o índice londrino FTSE cai 0,34%.

Os mercados norte-americanos devem ser contagiados por este sentimento negativo. A tecnológica Advance Micro Device também alertou para as vendas. Hoje são conhecidos os resultados da Intel.
Sandra Pedro