De facto, a Energias de Portugal (EDP) liderou os negócios no PSI20, com perto de 16 milhões de acções transaccionadas. Mas muitos dos negócios foram efectuados aquando do fecho e já depois do fecho do mercado. Uma movimentação que conduziu à queda de 1,77% para os 2,22 euros nas acções da EDP.

A imprimir mais força nas perdas no principal índice nacional esteve ainda a Portugal Telecom (PT), ao recuar 0,11% para os 9,05 euros. Já o Banco Comercial Português (BCP) terminou estável em 1,98 euros.

A Reditus recuou 3,66% para os 4,21 euros, a corrigir dos ganhos dos últimos dias. O mesmo se passou com a Corticeira Amorim, que perdeu 0,85% para os 1,16 euros. A Brisa também foi alvo de mais-valias. Desceu 0,44% para os 6,75 euros.

Nos ganhos, a ParaRede somou 2,7% para os 37 cêntimos, seguida da Cofina, com mais 0,52% para os 3,84 euros, e da Gescartão, que ganhou 0,48% para os 10,50 euros.

As principais praças europeias terminaram em alta. Os sectores petrolífero e mineiro foram responsáveis pelo fecho em alta nas principais bolsas do Velho Continente. Estas foram também animadas pela abertura em alta dos mercados norte-americanos e pelos dados económicos positivos que chegavam do outro lado do Atlântico.

O índice alemão DAX somou 0,48%, o índice francês CAC ganhou 0,53%, o índice londrino FTSE subiu 0,43% e o índice madrileno IBEX avançou 0,09%. Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones ganha 0,33% e o índice Nasdaq soma 0,98%.
Sandra Pedro