O processo de renovação de Jorge Jesus com o Flamengo e a cláusula de rescisão de apenas um milhão de euros, considerada baixa pelos adeptos do emblema carioca, foram um dos temas principais da conferência de imprensa realizada por Marcos Braz na apresentação do novo treinador, Domènec Torrent

O vice-presidente do Fla explicou que esse foi o valor exigido por Jesus para renovar o contrato em junho e garante que só a ultrapassagem do FC Porto ao Benfica no campeonato português fez com que o treinador tenha abandonado o Rio de Janeiro. 

«O Flamengo é campeão da maioria das competições, passa por um ano magnífico e depara-se de repente com o problema do coronavírus. Nós já tínhamos feito uma proposta de renovação [a Jesus] por um valor maior, mas não foi possível manter essas verbas e diminuímos a proposta. Nesse período, o Benfica perdeu a liderança do campeonato, o FC Porto passou para a frente e aí quem é do mundo do futebol sabe como as coisas funcionam», afirmou Marcos Braz.

«O presidente do Benfica jogou tudo, todas as fichas, e veio buscar um técnico que fez parte da história dele e do Benfica», considerou Marcos Braz. O dirigente garantiu não estar chateado com a decisão de Jorge Jesus. 

«Não, ele renovou o contrato e tinha 25 dias para avisar-nos. (...) O importante nesse processo é que o Flamengo fez o seu dever de casa, renovámos com um técnico que era campeão da Libertadores, do Brasileirão...»