As bolsas europeias fecharam mistas esta sexta-feira, preocupadas com o futuro da economia norte-americana, que ameaça entrar em recessão se democratas e republicanos não se entenderem a tempo de travar a entrada em vigor automática de um mega pacote de austeridade já em janeiro.

Paris liderou os ganhos, ao subir 0,47%, e Madrid ganhou apenas 0,16%. Do lado das quedas, as variações também foram pouco acentuadas: Londres fechou a perder 0,11%, Milão 0,09% e Frankfurt 0,58%.

Em Lisboa, o PSI20 caiu 0,31% para 5.307,36 pontos, pressionado pelas perdas da EDP e da Portugal Telecom, mas com a banca também a penalizar.

A elétrica desvalorizou-se 0,75% para 1,97 euros, ao passo que a operadora de comunicações perdeu 0,42% para 3,78 euros.

A Zon, que apresentou resultados dos primeiros nove meses do ano, com lucros de quase 30 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 3,9% em relação ao período homólogo, mesmo assim perdeu em bolsa 1,28% para 2,54 euros.

No setor financeiro, o BPI foi o que mais perdeu: 2,57% para 0,83 euros, a corrigir das fortes valorizações de ontem. O BES também fechou em queda e só o BCP destoou ao ganhar 1,4% para 0,072 euros.

Também a pressionar o índice, o peso-pesado Jerónimo Martins caiu 0,15% para 13,80 euros.

Quem impediu maiores quedas foi a Galp Energia, a única ação do setor da energia que ficou do lado do verde, e que ganhou 0,83% para 12,10 euros.

Última nota para a Cofina, que liderou a tabela de perdas do PSI20, caindo 5,43% para 0,40 euros. A empresa apresentou resultados: os lucros caíram para 2,2 milhões de euros, uma queda de mais de 58% e uma queda que ilustra o período negativo que se vive nos media nacionais, e o impacto que a retração da publicidade tem neste negócio.
Judite França